A dignidade dos vivos e dos mortos: a representação da morte nas modas-de-viola

Main Article Content

Jean Carlo Faustino

Abstract

This article aims to perform an analysis of death in the narrative of the moda-de-viola of the duo Tião Carreiro and Pardinho, recorded between the 1960s and 1980s, with the aim of understanding the relevance and meaning of this theme both from the point literary as well as sociological.


Modas-de-viola were an important type of Brazilian oral literature, characterized by narratives sung with the accompaniment of the viola caipira. Of rural origin, this type of literature that has spread in the interior of São Paulo and Minas Gerais and neighboring states has always played an important role of recording and disseminating wisdom in the daily for this population follow-up.


With the so-called Brazilian rural exodus, this type of literature migrated to the city, thus accompanying the movement that happened to its public and interpreters. In this new context, before its symbolic death caused by the consequences of modernity, this musical genre found its apogee of dissemination to an audience that, more than anything else, needed the help of an instrument of mediation with the new social reality.


And in this new social reality, from the birth of modern Brazil and the mourning of Caipira Brazil, modas-de-viola came to integrate death in their narratives as a central element and this, therefore, is the scope of the present analysis.

Article Details

How to Cite
Faustino, J. C. (2019). A dignidade dos vivos e dos mortos: a representação da morte nas modas-de-viola. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 7(1), 174-189. Retrieved from https://tidsskrift.dk/bras/article/view/114720
Section
General Articles

References

Arruda, Maria Arminda do Nascimento. Metrópole e cultura: São Paulo no meio do século XX. Bauru (SP): EDUSC, 2001.

Benjamin, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução Sergio Paulo Rouanet. 1 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. – (Obras Escolhidas; v.1).

Benjamin, Walter. Rua de mão única. Tradução Rubens Rodrigues Torres Filho e José Carlos Martins Barbosa. São Paulo: Brasiliense, 1987. – (Obras Escolhidas; v.2)

Brandão, Carlos Rodrigues. Os caipiras de São Paulo. São Paulo: Brasiliense, 1983. (Coleção tudo é história, 75).

Candido, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. 4.ed. São Paulo: Livraria Duas Cidades Ltda., 1977.

CUNHA, Euclydes. Os sertões: campanha de Canudos. 39. ed. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora; Publifolha, 2000. (Grandes nomes do pensamento brasileiro).

Durhan, Eunice. A caminho da cidade: a vida rural e a migração para São Paulo. São Paulo: Perspectiva, 1973.

Faustino, Jean Carlo. A moda de viola enquanto literatura: a quintessência da sabedoria caipira. In: Souza, Marly Gondim Cavalcanti; Silva, Agnaldo Rodrigues da (org.). Diálogo entre literatura e outras artes. Cáceres, MT: Ed. UNEMAT, 2014. p. 121-136.

Faustino, Jean Carlo. A moda de viola enquanto literatura. In: SILVA, Agnaldo Rodrigues da (org.). Escritos culturais: literatura, arte e movimento. Cáceres: Ed. UNEMAT; Editora de Liz, 2011. p. 153-170.

Faustino, Jean Carlo. (2009). O Caipira, o boi e a viola: representação e superação simbólica do caipira diante do êxodo rural em São Paulo. 2009. Cadernos CERU, 20(2), 115-131. 2009. https://doi.org/10.1590/S1413-45192009000200008

Faustino, Jean Carlo. O Êxodo Cantado: a formação do caipira para a modernidade. 2014. 196p. Tese (Doutorado em Sociologia) – Departamento de Sociologia. Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos (SP), 2014.

Giddens, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Editora UNESP, 1991.
Gonzales, Elbio N.; Bastos, Maria Ines. O trabalhador volante na agricultura brasileira. In: Pinsky, Jaime (org.) Capital e trabalho no campo. São Paulo: HUCITEC, 1979, p. 25-47. (Coleção estudos brasileiros, 7)

Martins, José de Souza. Música Sertaneja: a dissimulação na linguagem dos Humilhados. In:_______. Capitalismo e tradicionalismo. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1975. p. 103-161.

Marx, Karl. O Capital: crítica da economia política. Tradução de Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1996. Livro 1, v.1, t.1. (Os economistas).



Nepomuceno, Rosa. Música caipira: da roça ao rodeio. 1.ed. São Paulo: Editora 34, 2001.

Oliveira, Allan de Paula. O tronco da roseira: uma antropologia da viola caipira. 2004. 178p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

Ortiz, Renato. Cultura brasileira & identidade nacional. São Paulo: editora Brasiliense, 1985.

Pinto, Ivan Vilela. Cantando a própria história. 2011. 195p. Tese (Doutorado em Psicologia Social) – Departamento de Psicologia Social. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

Pinto, João Paulo do Amaral. A viola caipira de Tião Carreiro. 2008. 291p. Dissertação (Mestrado em Música) – Programa de Pós-graduação do Instituto de Artes. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

Stolcke, Verena. Cafeicultura: homens, mulheres e capital (1850-1980). Tradução de Denise Bottmann e João R. Martins Filho. São Paulo: Brasiliense, 1986.

Vilela, Ivan. O caipira e a viola brasileira. In: Pais, José Machado; Brito, Joaquim Pais de; Carvalho, Mário Vieira de (orgs.). Sonoridades luso-afro-brasileiras. Cap. X. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2004, p.171-187.

Weber, Max. História geral da economia. Tradução de Calógeras A. Pajuaba. São Paulo: Mestre Jou, 1968. p. 308-322.

Williams, Raymond. Marxismo e literatura. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

Willems, Emilio. Cunha: tradição e transição em uma cultura rural do Brasil. São Paulo: Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo, Diretoria de Publicidade Agrícola, 1947.