El legado de la política hidráulica de Epitácio Pessoa: llevando el agua a su molino

Main Article Content

Tim Neufert

Abstract

Epitácio Pessoa, el único presidente oriundo del Nordeste durante la Primera República, elevó la ‘lucha contra la sequía’ a absoluta prioridad nacional, ganándose los elogios de sus paisanos contemporáneos e incluso de historiadores posteriores, lo que sorprende dado el grado de instrumentalización política de la sequía por parte del oligarca Pessoa. Casi cien años más tarde, con Luiz Inácio Lula da Silva, otro presidente de origen nordestino inicia obras de grandes dimensiones en la zona de la sequía y es comparado con Pessoa, en un sentido positivo, alabado por su extraordinario compromiso con el Nordeste. Por un lado, la comparación entre Epitácio Pessoa y Lula da Silva tiene que limitarse a ciertos aspectos de la política hidráulica, ya que tanto los dos presidentes en sí como sus circunstancias y retos sociales son muy distintos. Por otro lado, indagar en el historial de Epitácio Pessoa y en la historia de su política hidráulica nos permite plantear algunas cuestiones generales vinculadas a ambos períodos de intervención estatal en el Nordeste, como por ejemplo: ¿cuáles son las conveniencias e inconveniencias de los megaproyectos centralizadores, sobre todo en relación al concepto social y ecológico de la ‘convivencia con la sequía’? Siguiendo esta línea, ¿han cumplido los dos presidentes nordestinos con las expectativas?

Article Details

How to Cite
Neufert, T. (2017). El legado de la política hidráulica de Epitácio Pessoa: llevando el agua a su molino. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 5(2), 171-200. https://doi.org/10.25160/v5i2.d8
Section
Dossier
Author Biography

Tim Neufert, Universität zu Köln/ University of Cologne

- former staff member of the Department of Iberian and Latin American History (Ihila) at the University of Cologne

- PhD in Latin American History in 2012

- now living in Spain

References

Abong – Organizações em defesa dos direitos e bens comuns. 13/12/2011. Governo Federal rompe com a ASA Brasil e regride na política de construção de cisternas no semiárido. www.abong.org.br/noticias.php?id=4678. Ab’Saber, Aziz. 2006. “A transposição de águas do São Francisco: análise crítica”. Revista USP (São Paulo) 70 (junio/ agosto): 6–13. http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/13527. Ab’Saber, Aziz. 22/3/2011. “A quem serve a transposição das águas do São Francisco”. CartaCapital (São Paulo). http://www.cartacapital.com.br/sociedade/a-quem-serve-a-transposicao-das-aguas-do-sao-francisco-2/. Aderaldo, Daniel. 22/3/2012. “Trabalhadores protestam contra cisternas de plástico no Dia Mundial da Água”. Último Segundo. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/ce/trabalhadores-protestam-contra-cisternas-de-plastico-no-dia-mund/n1597704661331.html. Aguiar, Manuel Pinto de. 1983. Nordeste – o drama das secas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. Albuquerque Júnior, Durval Muniz de. 1988. Falas de astúcia e de angústia: a seca no imaginário nordestino – de problema à solução (1877–1922) (Dissertação de mestrado em história, inédita). Campinas: Unicamp. Id. 1999. A invenção do Nordeste e outras artes (Série Estudos e pesquisas, v. 104; originalmente tesis doctoral: O engenho antimoderno. Campinas: Unicamp. 1994). Recife: Massangana/ São Paulo: Cortez. Araripe, Tristão Alencar (Ceará). 27/6/1877. Anais da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional (Rio de Janeiro). AS-PTA – Agricultura Familiar e Agroecologia. 27/3/2013. Cisternas de plástico chegam à Paraíba e preocupam famílias e organizações de agricultores da região do Polo da Borborema. http://aspta.org.br/2013/03/cisternas-de-plastico-chegam-a-paraiba-e-preocupam-familias-e-organizacoes-de-agricultores-da-regiao-do-polo-da-borborema. Barbosa, Orris. 1935. Secca de 32 (Impressões sobre a crise nordestina). Rio de Janeiro: Adersen-Editores. Barbosa, P.e Florentino. 19/4/1922. “A redempção do nordéste”. A União. Diario official do Estado (Parahyba): 1. Arquivo Maurílio Almeida (João Pessoa). Batista Neto, José. 1986. Como uma luneta invertida (intervenção do Estado no semi-árido nordestino através do discurso ideológico da IOCS/IFOCS) (Dissertação de mestrado em história, inédita), Recife: Universidade Federal de Pernambuco. Borges, Dain Edward. 1992. The family in Bahia, Brazil, 1870–1945. Stanford: Stanford University Press. Borges, Frederico (Ceará). 13/7/1920 y 21/12/1920. Anais da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional. Bouchardt, Jonny. 23/5/1915 (1a parte) y 25/5/1915 (2a parte). “Solução radical e scientifica do problema das sêccas. Meios a empregar e resultados provaveis”. A União. Diario official do Estado (Parahyba): 1–2. Arquivo Maurílio Almeida (João Pessoa). Bourbon, Isabel Cristina Leopoldina Augusta Miguela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança e. 1/6/1877. “Falla da Princeza Imperial Regente Izabel”. Anais do Senado. Rio de Janeiro. Bresciani, Eduardo/ Pedrosa, Wilson. 3/12/2011. “Governo abandona transposição do São Francisco após eleição de Dilma”. Estadão (São Paulo). http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,governo-abandona-transposicao-do-sao-francisco-apos-eleicao-de-dilma,806292. Carvalho, Otamar de. 1988. A economia política do Nordeste. Secas, irrigação e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Campus/ Brasília: ABID-Associação Brasileira de Irrigação e Drenagem. Castro, Iná Elias de. 1992. O mito da necessidade. Discurso e prática do regionalismo nordestino. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. Id. 1996. “Seca versus seca. Novos interesses, novos territórios, novos discursos no Nordeste”. Eds. id./ Gomes, Paulo Cesar da Costa/ Corrêa, Roberto Lobato. Brasil: questões atuais da reorganização do território, 283–323. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. CEPAL (Comisión Económica para América Latina y el Caribe)/ FAO (Organización de las Naciones Unidas para la Agricultura y la Alimentación)/ IICA (Instituto Interamericano de Cooperación para la Agricultura). 2013. “Cuadro 6. Pobreza, pobreza extrema e ingresos medios”. En: Perspectivas de la agricultura y del desarrollo rural en las Américas: una mirada hacia América Latina y el Caribe: 2014, p. 216. San José/ Costa Rica: IICA. http://www.fao.org/docrep/019/i3702s/i3702s.pdf. CPDOC (Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil)/ FGV (Fundação Getúlio Vargas). A era Vargas: Anos 20. Questão social. http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/anos20/QuestaoSocial. Cruz, Valdo/ Amora, Dimmi. 12/7/2016. “Para acelerar obra do São Francisco, governo libera mais verbas”. Folha de S. Paulo. http://www1.folha.uol.com.br. Dantas, Mariana/ Paulino, Wladmir. 2013. “Cisternas da discórdia. Em meio à maior seca dos últimos 40 anos, distribuição de reservatórios de polietileno aos sertanejos sofre atrasos, críticas e até denúncias de corrupção”. NE10. http://especiais.ne10.uol.com.br/cisternas-da-discordia/index.html. “Do rio para o sertão”. 2005. Nossa História (Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional) 2 (18: abril), 22–24. Duarte, Renato. 2002. Do desastre natural à calamidade pública: a seca de 1998-1999. Recife: Fundação Joaquim Nabuco/ Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco. Espinola, Toscano. 6/7/1952. “Epitacio Pessôa. Conferência realizada pelo Desembargador Toscano Espinola, na Casa da Parahyba, no dia da data natalícia do eminente estadista brasileiro” (2a parte). Jornal do Comercio (Rio de Janeiro). Arquivo do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro/ IHGB. Lata 738, pasta 14, doc. 16. Fernandes, Vivian. 23/3/2012. “Transposição do rio São Francisco custa R$ 3,4 bi a mais que o previsto”. Brasil de Fato. http://www.brasildefato.com.br/node/9137. Ferreira, Lúcia de Fátima Guerra. 1993. Raízes da indústria da seca: o caso da Paraíba. João Pessoa: Centro de Ciências humanas, letras e artes/ Editora Universitária. Fröhlich, Christiane. 19/6/2006. “Zur Rolle der Ressource Wasser in Konflikten”. Ed. Bundeszentrale für Politische Bildung. Aus Politik und Zeitgeschichte 25 (2006): 32-37. http://www.bpb.de/apuz/29688/wasser. Furtado, Bernardino. 2/2/2005a. “Banco Mundial rejeita transposição”. Estado de Minas (Belo Horizonte): 8. Id. 2/2/2005b. “[Transposição:] Baixo impacto contra a pobreza”. Estado de Minas: 9. Furtado, Celso. 1998. Seca e poder: entrevista com Celso Furtado (entrevistadores: Maria da Conceição Tavares, Manuel Correia de Andrade, Raimundo Pereira). São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo. Gabaglia, Laurita Pessoa Raja. 1966. “A figura humana de Epitácio Pessoa”. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional) 268 (julio–sept. 1965): 65–82. Geinitz, Christian. 18/6/2010. “Staudämme: China setzt auf riesige Wasserkraftwerke.” Frankfurter Allgemeine Zeitung. http://www.faz.net/aktuell/wirtschaft/unternehmen/staudaemme-china-setzt-auf-riesige-wasserkraftwerke-1638275.html. Gomes, Alfredo Macedo. 1998. Imaginário social da seca. Suas implicações para a mudança social. Recife: Fundação Joaquim Nabuco/ Editora Massangana. Gomes, Gustavo Maia. 2001. Velhas secas em novos sertões: continuidade e mudanças na economia do Semi-Árido e dos Cerrados nordestinos. Brasília: IPEA. Gurjão, Eliete de Queiróz. 1994. Morte e vida das oligarquias, Paraíba (1889-1945). João Pessoa: Editora Universitária/ UFPb. Haesbaert, Rogério. 1997. Des-territorialização e identidade. A rede “gaúcha” no Nordeste, Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense. Lacerda, Maurício Paiva de (Rio de Janeiro). 13/7/1920. Anais da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional. Id. 13/7/1917, 14/7/1917 y 18/7/1917. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro. Arquivo do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro/ IHGB. Lamartine, Juvenal (Rio Grande do Norte). 23/11/1915. Anais da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional. Lessa, Carlos. 20/6/2005. “Nordeste poderá ser solução do Brasil”. Valor econômico (São Paulo). Id. 6/7/2005. “O sertão vai virar mar”. Valor econômico (São Paulo). Lewin, Linda. 1987. Politics and parentela in Paraíba. A case study of family-based oligarchy in Brazil. Princeton: Princeton University Press. Madeiro, Carlos. 12/11/2015. “Incêndio destrói 40 cisternas de plástico do governo federal no Piauí”. BOL Notícias. http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/brasil/2015/11/12/incendio-destroi-40-cisternas-de-plastico-do-governo-federal-no-piaui.htm. Maria, Alana. 9/8/2016. “O Baixio resiste. O distrito rural Baixio das Palmeiras protesta e contesta a lógica da maior e mais ambiciosa obras hídrica do estado, o Cinturão das Águas do Ceará.” Cariri Revista (Juazeiro do Norte/ Ceará). http://caririrevista.com.br/o-baixio-resiste. Melo, Fernando. 2005. Epitácio Pessoa. Uma biografia. João Pessoa: Idéia. Mendes, Mauricio Matos. 2009. A experiência anarquista no Brasil: reflexos das greves de 1917 na Câmara dos Deputados (Monografia de Pósgraduação no Centro de Formação da Câmara dos Deputados/ Cefor). Brasília: Câmara dos Deputados. Ministério da Integração Nacional. 16/3/2012. “Integração Nacional vistoria obras do Projeto São Francisco em Custódia (PE)”. Portal Brasil (Brasília). http://www.brasil.gov.br/infraestrutura/2012/03/integracao-nacional-vistoria-obras-do-projeto-sao-francisco-em-custodia-pe. Id. 23/2/2015. Projeto Rio São Francisco. O que é o projeto? www.integracao.gov.br. Id. 2016. Projeto de Integração do Rio São Francisco. O que é o projeto? Entenda os detalhes/ Vazão e uso da água. www.mi.gov.br/projeto-sao-francisco. Movimento dos Atingidos por Barragens (Coordenação Nacional, São Paulo). 20/3/2017. “Transposição do São Francisco: que as águas sirvam à vida!” Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. http://www.mst.org.br/2017/03/20/transposicao-do-sao-francisco-que-as-aguas-sirvam-a-vida.html. Nankani, Gobind T. (director del Banco Mundial en Brasil). 6/3/2001. Escrito al Ministro de Integración Fernando Bezerra. Citado en: Furtado, 2/2/2005b: 9. Nascimento, Nicanor (São Paulo; diputado para el Distrito Federal). 14/7/1917. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro. Arquivo do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro/ IHGB (Rio de Janeiro). Id. 9/7/1920. Anais da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional. Neufert, Tim. 2015. Die Macht der Dürre. Wasser und Politik in Brasilien in der Zeit von Epitácio Pessoa (1877–1930) (“El poder de la sequía. Agua y política en Brasil en los tiempos de Epitácio Pessoa”. Tesis doctoral. Universidad de Colonia, 2012). Köln: Böhlau Verlag. Neves, Frederico de Castro. 1994. Imagens do Nordeste: a construção da memória regional (Coleção Teses Cearenses). Fortaleza: SECULT. Id. 1995. “Curral dos bárbaros: os campos de concentração no Ceará (1915 e 1932)”. Revista Brasileira de História (São Paulo) 15 (29): 93–122. Nóbrega, Apolonio. 1950. História republicana da Paraíba. João Pessoa: Imprensa Oficial. Citado por Ferreira, 1993: 105. Nogueira, Edwirges. 1/7/2015. “Entidades criticam novo modelo de cisternas feitas de plástico”. Agência Brasil – EBC. http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2015-07/entidades-criticam-novo-modelo-de-cisternas-feito-de-plastico. Noronha, Gustavo. 16/3/2017. “A transposição do São Francisco não é só festa”. CartaCapital (São Paulo). https://www.cartacapital.com.br/blogs/brasil-debate/a-transposicao-do-sao-francisco-nao-e-so-festa. Oliveira, Ariovaldo Umbelino de. 2011. “Não Reforma Agrária e Contra Reforma Agrária no Brasil do governo Lula”. XIII Encuentro de Geógrafos de América Latina (EGAL, 25 al 29 de julio 2011): Estableciendo puentes en la geografía latinoamericana, v. 1: 1–19. San José/ Costa Rica: EGAL. http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal13/Geografiasocioeconomica/Geografiaagrari/04.pdf. Oliveira, Francisco de. 19813 (19771). Elegia para uma re(li)gião. SUDENE, Nordeste. Planejamento e conflitos de classes (Série Estudos sobre o Nordeste, v. 1). Rio de Janeiro: Paz e Terra. Osório, Manuel Luís (Marquez do Herval, Rio Grande do Sul). 27/6/1877. Anais do Senado. Rio de Janeiro. “Os serviços das obras contra as sêccas na Parahyba”. 22/2/1920. A União. Diario official do Estado (Parahyba): 1. Arquivo Maurílio Almeida (João Pessoa). Pessoa, Epitácio Lindolfo da Silva. 20/8/1891. Anais da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional. Id. (Petrópolis). 22/4/1915. Carta a Major Horacio Lins (jefe político en Paraíba). Arquivo Dr. Flávio Maroja/ Instituto Histórico Geográfico Paraibano (IHGP, João Pessoa). Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP (João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque): CEP–A6.G1.P1, documento 003-11. Id. 29/11/1915 y 30/11/1915. “Obras contra as secas e serviços públicos” (discursos en el senado). En: id. Discursos parlamentares (Perfis parlamentares, 7): 375–386 y 386–387. Brasília: Câmara dos Deputados, 1978. Id. (Petrópolis). 5/5/1917. Carta a Feitosa Ventura. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1. Id. 3/5/1920. “Mensagem apresentada ao Congresso Nacional na abertura da terceira sessão da décima legislatura a 3/5/1920”. En: id. Obras completas de Epitácio Pessoa, v. XVII, 15–207. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura/ Instituto Nacional do Livro, 1956. Id. 3/5/1921. “Mensagem apresentada ao Congresso Nacional na abertura da primeira sessão da décima primeira legislatura a 3/5/1921”. En: ib., 209–412. Id. 3/5/1922. “Mensagem apresentada ao Congresso Nacional na abertura da segunda sessão da décima primeira legislatura a 3/5/1922”. En: ib., 413–603. Id. 1/6/1922. “Mensagem Presidencial [3/5/1922]. Obras do Nordéste”. A União. Diario official do Estado (Parahyba): 1. Arquivo Maurílio Almeida (João Pessoa). Id. (Rio de Janeiro). 18/2/1928. Respuesta a la carta de João Suassuna (gobernador de Paraíba, 1924–28) del 4/2/1928. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 005-12: 4–5. Id. (Den Haag). 31/8/1928. Carta a João Pessoa (gobernador de Paraíba, 1928–30). Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 023-5: 1–2. Id. (Den Haag). 11/9/1928. Carta a Adalberto Pessôa. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 12-062. Id. (Rio de Janeiro). 30/10/1928. Carta a João Pessoa. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 076-5. Id. (Rio de Janeiro). 9/11/1928. Telegrama a João Pessoa. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 086-5. Id. (Rio de Janeiro). 15/11/1928. Telegrama a João Pessoa. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 096-5. Id. 1957 (19251). Pela Verdade (Obras completas de Epitácio Pessoa, v. XXI, 1a parte). Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura/ Instituto Nacional do Livro. Pessoa, Helena Sayão. 1966. “Discurso em nome da família Epitácio Pessoa”. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional) 268 (julio–sept. 1965): 135–140. Pessoa, João (Parahyba). 2/11/1928. Telegrama a Epitácio Pessoa. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 039-1. Id. 10/11/1928. Telegrama a Epitácio Pessoa. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 041-1. Plataformaosc (Plataforma por um Novo Marco Regulatório para as Organizações da Sociedade Civil). 2016. ASA Brasil – Cisternas de plástico custam mais que o dobro das cisternas de placa. http://plataformaosc.org.br/asa-brasil-cisternas-de-plastico-custam-mais-que-o-dobro-das-cisternas-de-placa. Portal Brasil. 6/5/2016. Dilma: “governo é feito de escolhas, nós escolhemos fazer a Integração do São Francisco”. www.brasil.gov.br/governo/2016/05/dilma-governo-e-feito-de-escolhas-nos-escolhemos-fazer-a-integracao-do-sao-francisco. Id. 9/5/2016a. Moradores do sertão nordestino temem retrocesso com afastamento de Dilma. www.brasil.gov.br/governo/2016/05/moradores-do-sertao-nordestino-temem-retrocesso-com-afastamento-de-dilma. Id. 9/5/2016b. Programa Cisternas democratiza acesso à água no Semiárido. www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2016/05/programa-cisternas-democratiza-acesso-a-agua-no-semiarido. Queiroz, Francisco Pessôa de (director del Jornal do Commercio). 15/10/1922. “O futuro govêrno. Em territorio mineiro, em amistosa palestra com o sr. dr. Pessôa de Queiroz, o presidente eleito da Republica faz importantes declarações – As grandes obras do Nordéste – Como o sr. Arthur Bernardes encara o palpitante problema”. A União. Diario official do Estado (Parahyba): 1, publicado originalmente el 11/10/1922, en: Jornal do Commercio (Recife). Arquivo Maurílio Almeida (João Pessoa). Ramos, Gilvan Alves (Campina Grande/ Paraíba; agrónomo, analista económico de la Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária/ EMBRAPA). 8/4/2012 y 12/12/2016. Correspondencia con Tim Neufert. Retumba, Francisco Soares da Silva. 1912. “Memória sobre os melhoramentos de que precisa a província da Paraíba, 1886”. Revista do IHGP (Parahyba: Imprensa Official) IV (4): 163–228. Citado por Ferreira, 1993: 57. Rodrigues Junior (Ceará). 11/2/1879. Anais da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional. Santiago, Vandeck. 2010. “O Nordeste depois de Lula. 30 presidentes e duas verdades incômodas”. Diário de Pernambuco (Especiais on-line). diariodepernambuco.com.br. Schmitt, Tobias. 2013. Dürre als gesellschaftliches Naturverhältnis. Eine politische Ökologie der Wasserknappheit im Nordosten Brasiliens (Tesis doctoral, manuscrito inédito). Innsbruck: Leopold-Franzens-Universität/ Institut für Geographie, Fakultät für Geo- und Atmosphärenwissenschaften. Silveira, Rosa Maria Godoy. 1984. O regionalismo nordestino: existência e consciência da desigualdade regional. São Paulo: Ed. Moderna. Id. 1993. “Apresentação”. En: Ferreira, 1993: 9–11. Suassuna, João (Parahyba; gobernador, 1924–28). 4/2/1928. Carta a Epitácio Pessoa. Arquivo Dr. Flávio Maroja/ IHGP. Serie Correspondência com Epitácio Pessoa, 1912-1928. JP: CEP–A6.G1.P1, doc. 004: 1–4. Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE)/ Ministério do Interior. 19672 (19591). Uma política de desenvolvimento econômico para o Nordeste (Estudo elaborado pelo Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento do Nordeste). Recife: SUDENE. Toledo, José Roberto et al. 28/10/2014. “Os sete mitos das eleições de 2014”. Estadão (São Paulo). http://www.estadao.com.br/infograficos/os-sete-mitos-das-eleicoes-2014,271980.htm. Trigueiro, Oswaldo. 1982. A Paraíba na primeira república. João Pessoa: A União Editora. Villa, Marco Antonio. 2001. Vida e morte no Sertão. História das secas no Nordeste nos séculos XIX e XX. São Paulo: Editora Ática. Id. 2005. “Que braseiro, que fornalha”. Nossa História (Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional) 2 (18: abril): 14–19. WBGU/ Wissenschaftlicher Beirat der Bundesregierung Globale Umweltveränderungen (ed.). 1998. Welt im Wandel: Wege zu einem nachhaltigen Umgang mit Süßwasser. Jahresgutachten 1997. Berlin/ Heidelberg/ New York/ Barcelona/ Budapest/ Hongkong/ London/ Mailand/ Paris/ Santa Clara/ Singapur/ Tokio: Springer.