Índios de Papel – Construção discursiva do preconceito sobre o indígena no Brasil

  • Marcos Rodrigues Barreto Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Keywords: indigenas, literatura brasileira, discurso

Abstract

This study aims to present the historical construction of the colonizer thinking on indigenous peoples, using the speeches presented in the main Luso-Brazilian literary as research object, from which point the consolidation strategies of the hegemonic thought through ideological indoctrination of catechetical activity, oppression, language ban, theft, demoralization of indigenous ancestral culture, identity denial and the reproduction of these concepts under the progressive flag that acts in non-indigenous society. The purpose of this article is to go through the chronological process of the speech of crystallization the thought about indigenous cultures and ethnic homogenization, inviting reflection on the symbolic power that emanates from the speech, on the assumption that the speech acts as a construction tool of the hegemonic order, preventing the presence of indigenous ethnic and cultural diversity.

Author Biography

Marcos Rodrigues Barreto, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Graduado em Licenciatura Plena em Pedagogia para o exercício de docência em Educação Infantil e no anos iniciais do ensino fundamental, nos cursos de ensino médio na modalidade normal, Educação Profissional na área de serviços e apoio escolar e em outras áreas nas quais sejam previstos conhecimentos pedagógicos, compreendendo a participação na Organização e Gestão de Sistemas de Ensino. Mestre em Memória Social e aluno do Curso de Doutorado do Programa de Pós-graduação em Memória Social (UNIRIO), pesquisador na linha Memória e Patrimônio, atuando nas seguintes áreas: Ciências Sociais, Humanas e Sociologia Urbana. Atualmente desenvolvo pesquisas no âmbito dos Movimentos Sociais, História, Cultura e Educação Indígena, na iniciativa de contribuir para compreensão das distintas práticas de invisibilização da presença indígena nos aldeamentos, espaços rurais e urbanos no Brasil. Averiguando os elementos contemporâneos que podem ser enquadrados como reflexos traumáticos provenientes do período da criação do Serviço de Proteção ao Índio e durante a Ditadura Militar, e a que ponto, o terror de estado pode influenciar a memória coletiva e individual para os indígenas envolvidos, relegados ao esquecimento e a negação de suas identidades.

References

Alencar, José de. O Guarani. São Paulo: Ed. Martim Claret, 2005.

______. Iracema. Serie Bom Livro. São Paulo: Ed.Ática, 1991.

Anchieta, José de. De Gentis Mendi de Saa. Trad. P. Armando Cardoso, S.i. São Paulo, 1970.

______. Cartas: informações, framgentos históricos e sermões. Belo Horizonte: Itatiaia, São Paulo: Editora Universidade de São Paulo 1988.

______. Poesias. Transcrições, traduções e notas de M. de L. de Paula Marints. Belo Cultura.

Benjamin, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: ______. Magia e Técnica: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994 p.113

______. O Narrador: Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. São Paulo: Brasiliense, 1994.

Bernal, Roberto Jaramillo. Processus de reconformation de l´identité ethnique indienne à Manaus. Tese de Doutoramento. Paris: École des Hautes Études em Sciences Sociales, 2003.

Bessa Freire, José Ribamar. Uma Constituição Legal para os índios? In: Versiani, M.H; Maciel, I. e Santos, N.M. (Orgs.). Cidadania em Debate. Rio de Janeiro: Ed. Museu da República, 2009.

Bessa Freire, José Ribamar. Cinco ideias equivocadas sobre os índios. In: Revista do Centro de Estudos do Comportamento Humano (CENESCH), Manaus-Amazonas, nº1, Setembro de 2000, p.17-33.

Bourdieu, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992.

Burke, P. Cultura popular na Idade Moderna. São Paulo; Cia. Das Letras, 1989.

Carneiro, Maria Luiza Tucci. Livros proibidos, idéias malditas. São Paulo: Estação Liberdade, 1997

Cunha, Manuela Carneiro da. (Org) História dos índios no Brasil. São Paulo: FAPESP/SMC: Cia das Letras, 1992.

Dias, Gonçalves. Meditação. In: Obras posthumas de A. Gonçalves Dias. Rio de Janeiro: Garnier, 1909, p. 3- 89

Durão, Frei José de Santa Rita. Caramuru, poema épico do descobrimento da Bahia. Lisboa: Régio Officina Typografica, 1781.

Gandavo, Pero de Magalhães. Tratado da Terra do Brasil e História da Província de Santa Cruz. Belo Horizonte: Itatiaia: São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1980.

Gama, Basílio da Gama. O Uraguai. Publicação original em 1769. Disponível também em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bn00094a.pdf acesso em 02/12/2013

Garcia, Rodolfo. Primeira Visitação do Santo Ofício às partes do Brasil - Denunciações de Pernambuco. São Pauo: Paulo Prado, 1929.

Foucault, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 30 ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

______. A Ordem do Discurso. Aula inaugural no College de France. Pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Loyola: 1996.

Matos, Gregório de. “Aos principais da Bahia chamados os Caramurus”; “Ao mesmo assunto”. In: ______. Poemas escolhidos – Seleção, introdução e notas de José Miguel Wisnik. São Paulo: Cultrix, 1976, p. 108 e 109.

Missagia de Mattos, Izabel. Civilização e Revolta: os Botocudos e a catequese na Província de Minas. Bauru, SP: EDUSC.2004

Nobrega, P. Manuel da. Diálogo sobre a conversão do gentio. Com preliminares e anotações históricas e criticas de Serafim Leite. s.i. Lisboa: Comissão do IV Centenário da Fundação de São Paulo/ Minisério dos Negócios Estrangeiros, 1954.

Orlandi, Eni. Michel Pêcheux e a Análise do Discurso. Cpelin, Campinas-SP, 2005, p. 10. http://www.cpelin.org/estudosdalinguagem/n1jun2005/artigos/orlandi.pdf acesso em 29/12/2013.

Pêcheux, M. Papel da memória. In: Achard, P. et al. Papel da memória (Nunes, J.H., Trad. e Intr.). Campinas: Pontes, 1999.

Pereira, Kênia Maria de Almeida. Educação e Literatura: o professor e poeta Bento Teixeira entre a Heresia e a Censura. Revista de História e Estudos Culturais. Vol. 5, Ano V, nº1, março de 2008,p.3. Disponível em: http://www.revistafenix.pro.br/PDF14/Artigo_3_Kenia_Maria_de_Almeida_Pereira.pdf acesso em 04/01/2014;/

Ribeiro, Darcy. O Povo Brasileiro – A Formação e o sentido do Brasil. São Paulo. Companhia das Letras, 2006, p. 89.

Saint-Hilaire, Auguste. Viagem ao Espírito Santo e Rio Doce. São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo/ Belo Horizonte: Itatiaia, 1974.

______. Viagem pelas províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais t. 1 (1938).

Schwarz, Roberto. Ao vencedor as batatas. São Paulo: Editora 34, 2000.

Viveiros de Castro, E. A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de antropologia de Eduardo Viveiros de Castro. Cosac & Naify, São Paulo, 2002.

Wied-Neuwied. Maximiliano, Príncipe de. Viagem ao Brasil. Trad. Edgar Sussekind de Mendoça e Flávio Poppe de Figueiredo. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1ª ed. 1940. Disponível em: http://www.brasiliana.com.br/obras/viagem-ao-brasil-nos-anos-de-1815-a-1817/pagina/175/texto acesso em 16/01/2014

Treece, David. Exilados, Aliados, Rebeldes: O Movimento Indianista, a Política Indigenista e o Estado-Nação Imperial. São Paulo: Edusp/ Nankim, 2008.

Published
2017-01-14
How to Cite
Barreto, M. (2017). Índios de Papel – Construção discursiva do preconceito sobre o indígena no Brasil. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 5(1), 9-32. https://doi.org/10.25160/v5i1.d1
Section
Dossier