“Eva Moderna”: Representações de gênero em periódicos dos anos 1920: um olhar transnacional

Main Article Content

Marissa Gorberg

Abstract

Neste artigo visamos empreender uma análise entrecruzada de representações gráfico-satíricas publicadas em periódicos dos anos 1920, como prisma privilegiado para divisar ideias que permeavam as construções de gênero no circuito da mídia impressa nos dois lados do Atlântico.


Sob uma perspectiva da História Cultural, vislumbramos esse viés de investigação a fim de perscrutar circularidades transnacionais porventura evidenciadas nas temáticas e nos significados polissêmicos das representações, entendidas como repositórios de vestígios valorosos de arquétipos femininos, passíveis de interpretação.


Por meio de caricaturas, é possível entrever o papel dos periódicos na internacionalização da cultura e na elaboração de subjetividades; interessa-nos compreender a influência daqueles veículos nas mudanças de comportamento, nas demandas e aspirações das mulheres e consequente alteração de seu lugar social, em meio à difusão de gostos e valores, sensibilidades e imaginários, compartilhados em produções que conjugavam imagem, texto e humor.

Article Details

How to Cite
Gorberg, M. (2020). “Eva Moderna”: Representações de gênero em periódicos dos anos 1920: um olhar transnacional. Brasiliana: Journal for Brazilian Studies, 9(1), 278-311. https://doi.org/10.25160/bjbs.v9i1.120368
Section
Dossier

References

ALLEN, Frederick Lewis. (2000) Only yesterday: an informal history of the 1920’s. NewYork: Perennial Classics.

BARBOSA, Francisco de Assis. (2017). A vida de Lima Barreto. São Paulo: Autêntica.

BLOOM, Philip. (2008) Os anos vertiginosos: mudança e cultura no Ocidente (1900-1914). Rio de Janeiro: Record.

BOAVENTURA, Maria Eugênia (Org.). (2008). 22 por 22. A Semana de Arte Moderna vista pelos seus contemporâneos. São Paulo: Edusp.

CASCHERA, Martina. (2018). ‘Chinese Modern Cartoon. A Transcultural Approach to Modern Sketch’, Altre Modernità, (28-02-2018), Universitá degli Studi di Milano, p85-103.

CHARTIER, Roger. (1990). A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

COLLINS, Tracy J. R. (2010). ‘Athletic Fashion, "Punch", and the Creation of the New Woman, Victorian Periodicals Review, vol. 43, issue 3, p309-335.

COVA, Anne. (Dir.). História comparada das mulheres: Novas abordagens. Lisboa: Livros Horizonte, 2008.

CRANE, Diane. (2006). A moda e seu papel social: classe, gênero e identidade das roupas. São Paulo: Ed. Senac.

COMO SE FAZ um caricaturista. (1924) A Cigarra, São Paulo, n. 228, 15/03/1924, p. 26.

COSTALLAT, Benjamin. (1926). Paysagem Sentimental. Rio de Janeiro: Ed. José Olympio.
_____________________. (1923). Cocktail. Rio de Janeiro: Ed. Leite Ribeiro.
_____________________. (1924). Fitas. Rio de Janeiro..

CURTHOYS, Ann; LAKE, Marilyn (org). (2005). Connected Worlds: History in Transnational Perspective. Canberra: Australian National University Press, 2005.

DROWNE, Kathleen; HUBER, Patrick. (2004). The 1920s: American popular culture through history. Connecticut: Greenwood Publishing.

FEIJÃO, Rosane. (2016). “Tudo é novo sob o sol”: moda, corpo e cidade no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Comunicação) — Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

FIELL, Charlotte; DIRIX, Emmanuelle (2014). A moda da década 1920: um panorama completo e ilustrado da indumentária e da beleza nos anos loucos da Era do Jazz. São Paulo: Ed. Publifolha.

FREEDMAN, Estelle B. (1974) ‘The New Woman: Changing Views of Woman in the 1920s’, Journal of American History, vol. 61, issue 2, p372-393.

GRAYZEL, Susan R. (2010). ‘Women and men’. In: HORNE, John (Ed.). A companion to World War I. Oxford, UK: Wiley-Blackwell, 2010. p263-278.

HUGGINS, Mike. (2020). The spectre of ‘Americanisation’: assessing the impact of America on British leisure between the wars.
Available at: (Accessed: 4 april 2020)

LIMA, Herman. (1963). História da caricatura no Brasil. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 4 v.

LOREDANO, Cássio. (2002). O bonde e a linha: um perfil de J. Carlos. Rio de Janeiro: Capivara.

MALCOLMSON, Patricia. (2012). Me and my hair: a social history. Gosport: Chaplin Books.

MARGUERITTE, Victor. (1922). La Garçonne. Paris: Flammarion.

MARTINS, Ana Luiza, DE LUCA, Tania Regina. (2012). História da Imprensa no Brasil. 2ª Edição. São Paulo: Contexto.

MEIRELLES, Juliana Gesuelli. (2019). ‘Imprensa, Jornais e Pasquins’, O Arquivo Nacional e a História Luso-Brasileira, p1-5.
http://historialuso.arquivonacional.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=5298:imprensa-jornais-e-pasquins&catid=96&Itemid=414 (Accessed: 03 january 2019)

MORRIS, William and Mary Morris. (1988) Morris' Dictionary of Word and Phrase Origins. New York: Harper Collins.

NEEDELL, Jeffrey. (1993). Belle époque tropical: São Paulo, Companhia das Letras.

OLIVEIRA, Lucia Lippi. (2017). ‘A primeira guerra e o Brasil’. In: LIMONIC, Flávio; MARTINHO, Francisco Carlos Palomares (Org.). A experiência nacional. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p51-77.

PAULA, Dilma Andrade de. (2012). ‘A experiência de organizador de Antonio Gramsci, na Itália e os “loucos anos 1920” na América Latina’, Anais do 7º. Simpósio Nacional Estado e Poder. NUPEP/UFF
Disponível em: https://www.historia.uff.br/estadoepoder/7snep/docs/002.pdf (Accessed: 20 march 2020).

PINTO, Maria de Lourdes Melo. (2006). Memória de autoria feminina nas primeiras décadas do século XX: a emergência da obra periodística de Chrysanthème. Tese (Doutorado em Letras, UFRJ, Rio de Janeiro).

RESENDE, Beatriz (Org.). (2006). Cocaína, Literatura e outros companheiros de ilusão. Rio de Janeiro: Casa da Palavra.


SOIHET, Rachel. (2004). ‘Pisando no sexo frágil’. Nossa História, ano I, n. 3. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, p15-19.

WALDRON, Ingrid. (1991). ‘Patterns and causes of gender diferences in smoking’. Social, Science & Medicine, vol. 32. n. 9, p989-1005.

WOOLF, Virginia. (1985). Um teto todo seu. Rio de Janeiro, Nova Fronteira.