Biblioteca Galante: A Gazeta de Notícias e a popularização da pornografia no Brasil pós-1870

Main Article Content

Leonardo Mendes

Abstract

The 1870s marked a shift in Brazil. The crisis of the monarchy was the backdrop for changes in the cultural habits that included the spread of reading and print culture. Post-1870 Brazil saw the appearance of the cheap newspaper and the popular book. The activities of publishing and selling increase. A recognizable market of pornographic books appears. The influential daily newspaper Gazeta de Notícias was one of the agents of the new journalism that acted in the dissemination of pornographic literature. In at least two moments the periodical made inroads into the pornography market. In 1878, it distributed the “Gallant Library”, a collection of cheap licentious books; and in 1896-1897, it created the satirical column “The Pup”, focused exclusively on adult and licentious content. In the dominant reading imaginary, the writings and books that emerged from these ventures were pornographic.

Article Details

How to Cite
Mendes, L. (2020). Biblioteca Galante: A Gazeta de Notícias e a popularização da pornografia no Brasil pós-1870. Brasiliana: Journal for Brazilian Studies, 9(1), 239-258. https://doi.org/10.25160/bjbs.v9i1.120216
Section
Dossier

References

Bakhtin, Mikhail. (2010) A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec.
Barbosa, Marialva. (2010) História cultural da imprensa: Brasil, 1800-1900. Rio de Janeiro: Mauad X.
Bilac, Olavo. (1996) ‘Ferreira de Araújo’. In: Vossa insolência: crônicas. São Paulo: Cia das Letras, pp. 184-191.
Bilac, Olavo & Passos, Sebastião Guimarães. Tratado de versificação. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1905.
Carvalho, Aderbal de. (1894) O naturalismo no Brasil. Maranhão: Livraria Contemporânea, Júlio Ramos & C. Editores.
Castro, Francisco José Viveiros de. (1943) Atentados ao pudor: estudos sobre as aberrações do instinto sexual. Rio de Janeiro: Livraria Editora Freitas Bastos.
Deaecto, Marisa Midore. (2011) O império dos livros: instituições e práticas de leitura na São Paulo oitocentista. São Paulo: Edusp.
Duque, Luiz Gonzaga. (1900) ‘O primo Basílio. Notas sobre um fato’, Revista Contemporânea, 19, pp. 7-12.
El Far, Alessandra. (2004) Páginas de sensação: Literatura popular e pornográfica no Rio de Janeiro (1870-1924). São Paulo: Cia. das Letras.
El Far, Alessandra. (2010) ‘Ao gosto do povo: as edições baratíssimas de finais do século XIX’. In: Abreu, Márcia; Brgança, Aníbal (org.). Impressos no Brasil: dois séculos de livros brasileiros. São Paulo: Editora UNESP, pp. 89-99.
Eleazar [pseud. de Machado de Assis]. (1878) ‘Folhetim do Cruzeiro – Literatura Realista – O Primo Basílio, Romance do Sr. Eça de Queirós – Porto – 1878’, O Cruzeiro, 16 abril, p. 1.
Elói, o herói [pseud. de Artur Azevedo]. (1900) ‘Croniqueta’, A Estação, 31 agosto, p. 94.
Gandra, Jane Adriane. (2012) Pinheiro Chagas, um escritor olvidado. Tese (Doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa). São Paulo: USP, 2012.
Glaeser, Ernest. (1878) Biographie nationale des contemporains: rédigée par une Société de gens de lettres sous la direction de M. Ernest Glaeser. Paris: Glaeser et Cie.
Hallewell, Laurence. (1985) O livro no Brasil (sua história). São Paulo: EDUSP.
Janicka, Iwona. (2013) ‘Homosocial bonds and narrative strategies in Adolphe Belot’s Mademoiselle Giraud, ma femme (1870)’, Romanica Silesiana, 8, p. 138-150.
Kipnis, Laura. Bound and Gagged: Pornography and the politics of fantasy in America, Durham: Duke University Press, 1996.
Ladenson, Elizabeth. (2016) ‘Literature and sex’. In: Lyons, John D. (ed.). The Cambridge Companion to French literature. Cambridge: Cambridge University Press, pp. 222-240.
Leão, Andréa Borges. (2012) Brasil em imaginação. Livros, impressos e leituras infantis (1890-1915). Fortaleza: INESP/UFC.
Lima, Mariana da Silva. (2010) ‘Entre debates e picuinhas: a Gazeta de Notícias e a imprensa brasileira na virada do século XIX’, Miscelânea, vol. 8, pp. 10-27.
Lulu Sênior [pseud. de Ferreira de Araújo]. (1875) ‘Folhetim da Gazeta de Notícias’, Gazeta de Notícias, 2 agosto, p. 1.
Maingueneau, Dominique. (2010) O discurso pornográfico. São Paulo: Parábola Editorial.
Mello, Maria Tereza Chaves de. (2007) A República consentida: cultura democrática e científica do final do Império. Rio de Janeiro: Editora FGV.
Mendes, Leonardo. (2019) ‘O aborto, de Figueiredo Pimentel: naturalismo, pedagogia e pornografia no final do século XIX’. In: Mendes, Leonardo; Catharina, Pedro Paulo (org.). Figueiredo Pimentel, um polígrafo na Belle Époque. São Paulo: Alameda Casa Editorial, pp. 261-349.
Mendes, Leonardo. (2017) ‘Álbum de Caliban: Coelho Neto e a literatura pornográfica na Primeira República’, O eixo e a roda, 26 (3), p. 205-228.
Mendes, Leonardo. (2018) ‘Histórias para sorumbáticos: Pedro Rabelo e a literatura licenciosa na Belle Époque’. In: Negreiros, Carmem et al. (org.). Belle Époque: efeitos e significações. Rio de Janeiro: ABRALIC, pp. 90-109.
Mendes, Leonardo. (2016a) ‘O livro pornográfico na Belle Époque: a década de 1890 e a invenção da “leitura alegre”’. In: Negreiros, Carmem; Oliveira, Fátima; Gens, Rosa (org.). Belle Époque: crítica, arte e cultura. São Paulo: Ed. Intermeios, pp. 305-321.
Mendes, Leonardo. (2016b) ‘Livros para Homens: sucessos pornográficos no Brasil no final do século XIX’, Cadernos do IL, 53, pp. 173-191.
Mendes, Leonardo; Moreira, Aline. (2019) ‘Rabelais e a imaginação licenciosa no Brasil oitocentista’, Revell, 21(1), pp. 137-159.
Miné, Elza. (2005) ‘Ferreira de Araújo, ponte entre o Brasil e Portugal’, Via Atlântica, 8, pp. 221-229.
Mónica, Maria Filomena. (2001) ‘Os fiéis inimigos: Eça de Queirós e Pinheiro Chagas’, Análise Social, 36 (160), pp. 711-733.
Moulton, Ian Frederick. (2000) Before Pornography: Erotic writing in early modern England. Oxford: Oxford University Press, 2000.
Pereira, Cristiana Schettini. (1997) Um gênero alegre: imprensa e pornografia no Rio de Janeiro (1898-1916). Dissertação (Mestrado em História Social). Campinas: Uincamp.
Pereira, Leonardo Affonso de Miranda. (2004) O carnaval das letras. Literatura e folia no Rio de Janeiro do século XIX. Campinas: Editora Unicamp.
Pierrot (pseud. de Pedro Rabelo). (1905) Casos alegres: Histórias para sorumbáticos. Rio de Janeiro: Livraria Laemmert.
Filhotadas. Rio de Janeiro: Tipografia do Jornal do Comércio, de Rodrigues & C., 1897.
Pontes, Eloy. (1944) A vida exuberante de Olavo Bilac. Rio de Janeiro: José Olympio.
Pontes, Eloy. (s.d.) Olavo Bilac. Bom Humor. Rio de Janeiro: Editora Casa Mandarino.
Ramos, Ana Flávia Cernic. (2005) Política e humor nos últimos anos da monarquia: a série “Balas de estalo” (1883-1884). Dissertação (Mestrado em História Social). Campinas: Unicamp.
Silva, Ana Cláudia Suriane da. Machado de Assis's Philosopher or Dog? From Serial to Book Form. New York: Routledge, 2010.
Simões Jr, Álvaro. (2007) A sátira do Parnaso. Estudo da poesia satírica de Olavo Bilac publicada em periódicos de 1894 a 1904. São Paulo: Editora UNESP.
Sodré, Nelson Werneck. (1983) História da imprensa no Brasil. São Paulo: Martins Fontes.
Tinhorão, José Ramos. (2000) A imprensa carnavalesca no Brasil. São Paulo: Hedra.
Trotta, Laudímia. (1967) O poeta boêmio Guimarães Passos. Editora Souza Marques.
Várzea, Virgílio. (2003) ‘A chuva’. In: Contos completos. Tomo I. Florianópolis: Academia Catarinense de Letras, pp. 294-5.
Vieira, Renata Ferreia. (2020). Leitura Alegre: livros licenciosos e de entretenimento no Brasil no final do Oitocentos (1896-1905). Tese (Doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada). Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro.