Flagrantes da “Hespanhola”: a epidemia de influenza na imprensa ilustrada, Rio de Janeiro, 1918

Main Article Content

Ana Maria Mauad
https://orcid.org/0000-0001-8973-5238

Abstract

This article focuses on the study of the news that circulated in the capital of the Brazilian Republic about the influenza epidemic that shook the city during October and November of 1918. Special attention is given to the photographs published in the main illustrated magazines that had been circulating in the city of Rio de Janeiro, intending to reconstruct the epidemic phenomenon as news. The pace of the event is observed in its motion from the daily newspapers to the weekly magazines, along with the narrative plot created by photographs and texts about the impact of the disease on the population and its effects on the city's routine. This study aims to identify in the photographic practice registered in the press, at the beginning of the 20th century, the elaboration of the visual public space, in which the disputing versions about the event reveal specific aspects of social phenomena.

Article Details

How to Cite
Mauad, A. (2020). Flagrantes da “Hespanhola”: a epidemia de influenza na imprensa ilustrada, Rio de Janeiro, 1918. Brasiliana: Journal for Brazilian Studies, 9(1), 2-40. https://doi.org/10.25160/bjbs.v9i1.119938
Section
Dossier
Author Biography

Ana Maria Mauad, Universidade Federal Fluminense

Ana Maria Mauad é doutora em história pela Universidade Federal Fluminense e professora titular do Departamento de História da mesma universidade. Desde 1996 é pesquisadora do CNPq, em 2013 tornou-se Cientista do Nosso Estado FAPERJ e em 2018 atuou como pesquisadora visitante do St. Jonh’s College, Universidade de Cambridge, no âmbito da Cátedra Celso Furtado (Cambridge-Capes). Atua no setor de Teoria e Metodologia da História ministrando cursos no âmbito da Graduação e da Pós-Graduação em História e orienta regulamente em nível de Graduação, Mestrado e Doutorado. Dedica-se ao estudo das relações entre fotografia e história em que convergem questões associadas aos campos da História Visual, História Oral e História da Memória, coordenando projetos financiados pelas principais agências de fomento brasileiras. Atualmente integra a Rede Brasileira de História Pública e coordena juntamente com a Dra. Maria Teresa Bandeira de Mello o Grupo de Trabalho Cultura Visual, Imagem e História seção ANPUH-Rio, em que se articula uma ampla rede de pesquisadores sobre imagem e memória nacional e internacionalmente, promovendo o Fórum Anual- Uma agenda para a Fotografia.

References

A Noite (1918) Edições entre 22 de setembro e 7 de novembro, Hemeroteca BN Digital.
Barbosa, M. (2007) História Cultural da Imprensa, 1900-2000. Rio de Janeiro: Mauad X.
Brito, N. A. de (1997) 'La dansarina: a gripe espanhola e o cotidiano na cidade do Rio de Janeiro'. História, Ciências, Saúde— Manguinhos, IV (1):11-30.
Careta (1918) eds. 0540; 0541;0542; 0543; 0544; 0545, Hemeroteca BN Digital.
Castro, Ruy. Metrópole à Beira Mar: o Rio Moderno dos Anos 1920, São Paulo: Companhia das Letras, 2020.
Correio da Manhã (1918) Edições entre 15 de outubro e 7 de novembro, Hemeroteca BN Digital.
Dantas, C. V. Verbetes: Revista da Semana, O Malhor, Careta, Fon-Fon. Abreu, A. A. de (Coord.) Dicionário Histórico-Biográfico da Primeira República (1889-1930), Rio de Janeiro: CPDOC, FGV, 2015 e-book.
Flusser, V. (2002) Filosofia da Caixa Preta: Ensaios para uma futura filosofia da fotografia. Rio de Janeiro: Ed. Relume-Dumará.
Fon-Fon (1918) eds. 043; 044; 045; 046; 047, Hemeroteca BN Digital.
Gazeta de Notícias (1918) Edições entre 15 de outubro e 8 de novembro, Hemeroteca BN Digital.
Gay, P. (1989) Educação dos Sentidos: A Experiência Burguesa da Rainha Vitória a Freud. São Paulo: Ed. Companhia das Letras.
Goulart, A. da C. (2003) Um cenário mefistofélico: a gripe espanhola no Rio de Janeiro, Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Fluminense.
Goulart, A. da C. (2005) Revisitando a espanhola: a gripe pandêmica de 1918 no Rio de Janeiro, História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 12, n. 1, p. 101-42, jan.-abr.
Grinberg. K. (2019) "O mundo não é dos espertos: história pública, passados sensíveis, injustiças históricas”, História Historiografia v. 12, n. 31, p. 145-176 - DOI 10.15848/hh. v12i31.1491
Habermas, J. (1984) Mudança Estrutural na Esfera Pública. São Paulo: Ed. Tempo Brasileiro.
Knauss, P. (2008) Aproximações disciplinares: história, arte e imagem. Anos 90 (UFRGS), v. 15, p. 151-168. https://doi.org/10.22456/1983-201X.7964
Knauss, P. (1). O desafio de fazer História com imagens: arte e cultura visual. Artcultura, 8(12). Recuperado de http://www.seer.ufu.br/index.php/artcultura/article/view/1406
Martins, Ana Luiza. Revistas em Revista: Imprensa e Práticas em Tempos, São Paulo (1890-1922), São Paulo: EDUSP/Imprensa Oficial/FAPESP, 2001.
Mattos, H; Rios, A.M. (2004) O pós-abolição como problema historiográfico: balanços e perspectivas, Topoi, v. 5, n.8, pp.170-198.
Mattos, H. (2013) Das Cores do Silêncio. Edição revista. Campinas: Editora Unicamp.
Mauad, A. (2005) Na mira do olhar: um exercício de análise da fotografia nas revistas ilustradas cariocas, na primeira metade do século XX. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 13(1), 133-174. https://doi.org/10.1590/S0101-47142005000100005.
Mauad, A. (2016) Sobre as imagens na História, um balanço de conceitos e perspectivas. Revista Maracan, v. 12, n. 14, 33-48. DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2016.20858
Meneses, U. B de. (2003) Fontes visuais, cultura visual, História visual. Balanço provisório, propostas cautelares. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 23, nº 45, pp. 11-36 http://www.scielo.br/pdf/rbh/v23n45/16519.pdf
Nature (2005) The 1918 flu virus is resurrected. Nature 437, 794–795. https://doi.org/10.1038/437794a https://www.nature.com/articles/437794a
O Malho (1918) eds. 0841; 0842; 0843; 0844; 0845; 0846, Hemeroteca, BN Digital.
Revista da Semana (1918), eds. 038; 039; 040; 041; 042, Hemeroteca, BN Digital.
Santiago Júnior, F. (2019). A virada e a imagem. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 27, 1-51. https://doi.org/10.1590/1982-02672019v27e08
Santiago Júnior, F. (2019a) Dimensões historiográficas da virada pictórica/icônica ou o que pode fazer o historiador quando faz histórias com imagens? Tempo e Argumento, v. 11, p. 402-444.
Santos, R. A. dos. (2006) O Carnaval, a peste e a ‘espanhola’. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 13, n. 1, p. 129-58.
Schtzmayr, H. G.; Cabral, M. C. (2012). A virologia no Estado do Rio de Janeiro: Uma visão Global, 2a ed., Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, 180.
Sevcenko, N. (1983) Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Ed. Brasiliense.
Sussekind, Flora (1987) Cinematógrafo das Letras. São Paulo: Ed. Companhia das Letras.
Taubenberger JK, Hultin JV, Morens DM. (2007) Discovery and characterization of the 1918 pandemic influenza virus in historical context. Antivir Ther. 12(4 Pt B):581–591. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2391305/
The Independent (1920) The Great Plague, Feb 21; 101, 3710; American Periodicals.
The Labor Journal (1918) “Rules do Prevent the Spanish ‘Flu’. Oct 11; 21, 39; American Periodicals.

O desenvolvimento desse artigo foi apoiado pelo CNPq através da bolsa de produtividade (2019-2023) e pela FAPERJ no programa CNE (2019-2022). Agradece a colaboração do biólogo Victor Essus na pesquisa sobre a história do virus influenza e pelas explicações complementares.