Solano Trindade's Zumbi dos Palmares Malungo (English version with a critical introduction)

Main Article Content

Ananya Jahanara Kabir
Francesca Negro

Article Details

How to Cite
Kabir, A., & Negro, F. (2020). Solano Trindade’s Zumbi dos Palmares Malungo (English version with a critical introduction). Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 8(1-2), 343-403. Retrieved from https://tidsskrift.dk/bras/article/view/118027
Section
Varia

References

Afolabi, Omoniyi. (2009) Afro-Brazilians: Cultural Production in a Racial Democracy. Rochester: University Rochester Press.
_______. (2012) “Quilombismo and the Afro-Brazilian Quest for Citizenship”. Journal of Black Studies, 43.8: pp. 847-871.
Agualusa, José Eduardo. (2002) O Ano em Que Zumbi Tomou o Rio. Lisboa: Quetzal.
Bizarro Ennes, Ernesto José. (1938) Os Palmares: Subsídios para a sua história. Lisboa: I Congresso da História da Expansão Portuguesa no Mundo.
Boal, Augusto; Guarnieri, Gianfrancesco. (1965) Arena conta Zumbi.
Boal, Augusto. (1977) Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
Braz, Julio Emilio. (1999) Zumbi o despertar da liberdade. São Paulo, Ftd.
Carneiro, Edison. (1937) Negros bantus: notas de ethnografia religiosa e de folklore. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
_______. (1954) Candomblés da Bahia. Rio de Janeiro: Editorial Andes.
_______. (1965) Dinâmica do folklore, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
_______. (1966) O quilombo dos Palmares, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
_______. (1974) Folguedos tradicionais: notas de etnografia religiosa. Rio de Janeiro: Conquista.
_______. (1978) Antologia do negro brasileiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
Caruso, Carla. (2006) Zumbi: o último herói dos palmares. São Paulo, Callis.
Carvalho França, Jean Marcel. (2012) Três vezes Zumbi : a construção de um herói brasileiro, São Paulo: Três estrelas.
Crichlow, Michaeline. (2009) Globalization and the Post-Creole Imagination: Notes on Fleeing the Plantation, Durham: Duke University Press.
Da Silva Sobrinho, Helson Flávio. (2015) “O herói negro e a nação brasileira: conflitos e afiliações sócio-históricas de identificação de sujeitos e sentidos”. Memória História e Arquivo: Fronteiras e Intercessões, vol. 1, UFPE, Recife.
De Arruda Campos, Cláudia. (1988) Zumbi, Tiradentes e outras histórias contadas pelo Teatro de Arena de São Paulo. São Paulo: Perspectiva.
Do Nascimento, Abdias. (1961) Dramas para negros e prólogo para brancos. Rio de Janeiro: Edição do Teatro Experimental do Negro.
_______. (1980) Quilombismo. Petrópolis: Vozes.
_______. (1980) “An Afro-Brazilian Political Alternative: Memory: The Antiquity of Black African Knowledge”. Journal of Black Studies 11, no. 2: 141-178, 151-2.
Dos Anjos, Joana. (1987) Ouvindo histórias na senzala. São Paulo: Paulinas.
Dos Santos Gomes, Flávio. (2006) Histórias de Quilombolas – Mocambos e Comunidades de senzalas no Rio de Janeiro, século XIX. São Paulo: Companhia das Letras.
_______. (2011) De Olho em Zumbi dos Palmares: Histórias, Símbolos e Memória Social. São Paulo: Claro Enigma.
_______. (2016) “Senzalas no Rio de Janeiro”. Canadian Journal of Latin American and Caribbean Studies n. 41(3):460-462,· September.
_______. (2005) A Hidra e os Pântanos: Mocambos, Quilombos e Comunidades de Fugitivos no Brasil. São Paulo: Polis UNESP.
_______. (2005) Palmares, escravidão e liberdade no Atlântico Sul. São Paulo: Contexto.
Ennes, Ernesto. (1938) As guerras nos palmares. São Paulo: Companhia Editora Nacional.
Ferreira, Elio Sousa. (2008) Memória, construção de identidades e utopia em “Canto dos Palmares”, de Solano Trindade, in Tessituras, Interações, Convergências, XI Congresso Internacional da ABRALIC, São Paulo: Hucitec June.
Fonseca, Eduardo Junior. (2000) Zumbi dos Palmares: A história que não foi contada. Yorubana do Brasil Sociedade Editora Didática Cultural.
_______. (2003) Zumbi dos Palmares. Herói Negro da Nova Consciência Nacional, Rio de Janeiro, Atheneu.
Freitas, Décio. (1995) Zumbi dos palmares. Luanda: Ministério da Cultura.
_______. (1984) Palmares: a guerra dos escravos. Porto Alegre: Mercado Aberto.
Freitas Oliveira, Waldir; Da Costa Lima, Vivaldo. (1987) Cartas de Édison Carneiro a Artur Ramos. Salvador: Corrupio.
Freyre, Gilberto. (2003) Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Recife: Global Editora.
Fryer, Peter. (2000) Rhythms of Resistance: African Musical Heritage in Brazil. Philadelphia: Wesleyan University Press.
Galdino, Luiz. (1993) Palmares. São Paulo: Ática.
Glissant, Édouard. (1989) Caribbean Discourse: Selected Essays. Charlottesville: University of Virginia Press.
_______. (1997) Poetics of Relation, Trans. Betsy Wing, Ann Arbor: University of Michigan Press.
Guimarães, Antonio Sergio Alfredo. (2000) “Africanism and Racial Democracy: The Correspondence between Herskovits and Arthur Ramos (1935–1949)”. Estudios Interdisciplinarios de America Latina y el Caribe, v. 19, n. 1.
Kabir, Ananya Jahanara; Negro, Francesca. (2019) “Solano Trindade’s Gift to Alvin Ailey: New Evidence from the Black Archives of Mid-America”. The Black Scholar, 49, no. 3,: 6-20.
Kabir, Ananya Jahanara [ed.] (2020) African-Heritage Partner Dances: Creolizing Connections, Transnational Movement, special issue of Atlantic Studies: Global Currents Vol. 17.1, January.
Leal, Péricles. (n.d.) Zumbi, rei dos Palmares, Manuscritos 010-0017. Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro.
Lima, Renato. (2009) Zumbi dos Palmares. São Paulo: Paulus.
Lourenço, Pedro. (1993) “Poetação Quilombola”. In Correia, Lepê (ed.) Caxinguelê. Recife: Sambaxé consultaria.
Mbembe, Achille; Meintjes, Libby. (2003) “Necropolitics”. Public Culture, Vol. 15, no. 1, pp. 11-40.
Mccann, Bryan. (2004) Hello, Hello Brazil: Popular Music in the Making of Modern Brazil, Durham: Duke University Press.
Moore, Zelbert L. (1979) “Solano Trindade Remembered, 1908-1972”. Luso-Brazilian Review, vol. 16, no. 2, Winter,: pp. 233-38.
Nelson, Robert James. (1958) Play within a Play: the Dramatist’s Conception of his Art: Shakespeare to Anouilh. Vol. 5. New Haven: Yale University Press.
Ortiz, Fernando. (1995) Cuban Counterpoint: Tobacco and Sugar. Durham: Duke University Press.
Péret, Benjamin. (1988) O quilombo de Palmares: crónica da "República dos escravos", Brasil, 1640-1695. Lisboa: Fenda, imp.
Prandi, Reginaldo. (2007) Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras.
Pratt, Mary Louise. (2007) Imperial Eyes: Travel Writing and Transculturation. London and New York: Routledge.
Ramos, Arthur. (1930) Notas sobre Zumbi, Manuscript I-36,32,035. Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro.
Reis, Joño José; Dos Santos Gomes, Flávio. (1996) Liberdade por um Fio – História dos Quilombos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras.
Rodrigues, Edmundo. (1994) As melhores lendas do nordeste: São Paulo: Consultora.
Rufino dos Santos, Joel. (1985) Zumbi. São Paulo: Ed. Moderna.
Santos Morais, Antonio. (1965) Zumbi, e A terra sangra, Rio de Janeiro, ed. Leitura.
Silva, Ruben Alves da. (2007) Chico Rei Congo do Brasil. Memória Afro-brasileira. Imaginário, cotidiano e poder. São Paulo: Selo Negro.
Soares, Carlos Eugênio Líbano et al. (2006). Cidades negras africanos, crioulos e espaços urbanos no Brasil escravista do século XIX. São Paulo: Alameda Editorial,.
Souza, Florentina. (2004) “Solano Trindade e a produção literária afro-brasileira”. Afro-Asia vol. 31, pp. 277-93.
_______. (2008) “Intelectual negro e mediações culturais: Solano Trindade,” SCRIPTA vol. 8, no. 15: pp. 226-39.
Taylor, Diana. (2003) The Archive and the Repertoire: Performing Cultural Memory in the Americas Durham: Duke University Press.
Tinhorão, José Ramos. (2000) A música popular no romance brasileiro: Séculos XVIII e XIX. São Paulo: Editora 34.
Trindade, Solano. (1936) Poemas Negros, Recife: Edições do Autor.
_______. (1988) Tem gente com fome e outros poemas: antologia poética, Rio de Janeiro DJ.
_______. (2008) Canto negro. São Paulo: Nova Alexandia.
Verger, Pierre. (1985) Lendas Africanas dos Orixás. Rio de Janeiro: Corrupio.
Waldeck, Guacira. (2008) Brasis revelados: 50 anos do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro: IPHAN, CNFCP.