Os chineses no Rio: a escravidão urbana

Main Article Content

Ricardo Rezende Figueira
Suliane Sudano
Edna Galvão

Abstract

Há um grande fluxo de chineses migrando para o Brasil, especialmente desde finais da primeira década dos anos 2000. Já se fala em um número que poderia atingir dez mil na região metropolitana do Rio de Janeiro. Este artigo apresenta uma  pesquisa em andamento e aponta relações estabelecidas entre migrantes chineses e trabalho escravo contemporâneo, em meio à complexidade das questões sociais, econômicas, políticas e culturais. Aspectos da migração chinesa são analisados pelos autores em algumas áreas da citada região metropolitana do Rio de Janeiro.

Article Details

How to Cite
Figueira, R., Sudano, S., & Galvão, E. (2013). Os chineses no Rio: a escravidão urbana. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 2(2), 90-112. https://doi.org/10.25160/v2.i2/d4
Section
Dossier
Author Biographies

Ricardo Rezende Figueira, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Doutor em Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003), fez pós-doutorado no "Instituto de Derechos Humanos ´Bartolomé de las Casas`" da Universidad Carlos III, de Madrid, Espanha, em 2010. Coordenador do Grupo de Pesquisa Trabalho Escravo Contemporâneo no Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direitos Humanos - NEPP-DH/ CFCH/UFRJ, líder do mesmo Grupo de Pesquisa no CNPQ, Professor Adjunto 4 do Departamento de Métodos e Técnicas da Escola de Serviço Social da UFRJ e Coordenador de Pesquisa do NEPP-DH. Atua como pesquisador nos temas: Trabalho Escravo por Dívida, Amazônia, Migração e Violência. Recebeu os prêmios "Jabuti" e "Casa de las Americas" pelo livro "Pisando fora da própria sombra: a escravidão por dívida no Brasil contemporâneo" e a Premiação Editorial 2012, da EdUFMT por "obra organizada" com Adonia A. Prado, pelo livro "Olhares sobre a escravidão contemporânea: novas contribuições críticas".

Suliane Sudano

Assistente Social e pesquisadora no GPTEC/NEPP da UFRJ.

Edna Galvão

Historiadora e pesquisadora do GPTEC/NEPP da UFRJ.