Expansão da fronteira agrícola e suas relaçõs com o trabalho análogo a de escravo no oeste da Bahia

Main Article Content

Elen da Silva Coutinho
Guiomar Inez Germani
Gilca Garcia de Oliveira

Abstract

Este artigo trata da expansãoterritorialdocapital e a relação com trabalho análogo a de escravo, na região Oeste da Bahia. A região Oeste concentra maior incidência de casos no Estado, tanto no número de trabalhadores resgatados quanto de empregadores infratores. Ao mesmo tempo em queo Oeste baiano é polo de trabalho escravo na Bahia é, também, polo da expansão do agronegócio. A expansão da fronteira agrícola se deu majoritariamente nas culturas ligadas ao agronegócio – soja, algodão e milho – atividades que concentram o número de resgate de trabalhadores escravos. Para verificar a expansão territorial do capital, foi analisada a modificação na estrutura produtiva e na estrutura fundiária nas ultimas décadas. Os dados evidenciam a relação direta entre a concentração de terras, a expansão da fronteira agrícola, o desenvolvimento do agronegócio e o trabalho na forma mais degradante: trabalho análogo a de escravo.

Article Details

How to Cite
Coutinho, E., Germani, G., & de Oliveira, G. (2013). Expansão da fronteira agrícola e suas relaçõs com o trabalho análogo a de escravo no oeste da Bahia. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 2(2), 236-263. https://doi.org/10.25160/v2.i2/d10
Section
Dossier
Author Biographies

Guiomar Inez Germani, Universidade Federal da Bahia

Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia/UFBA, Lider do Grupo de Pesquisa Projeto GeografAR

Gilca Garcia de Oliveira, Universidade Federal da Bahia

Professora dos Programas de Pós-Graduação em Economia e em Geografia/UFBA. Grupo de Pesquisa Projeto GeografAR.