Discursos conciliadores no debate sobre ação afirmativa no ensino superior

Keywords: desigualdade racial, ação afirmativa, frames

Abstract

O debate sobre ação afirmativa nas universidades públicas brasileiras ao longo da década de 2000 representou rico debate sobre a ideia da ação afirmativa de corte racial. A ideia de “raça” na sociedade brasileira foi sempre subsumida na questão de classe em um país que construiu forte representação social acerca de sua democracia racial. O presente artigo vai ressaltar os fatores que levaram a questão da desigualdade racial aos espaços discursivos da esfera pública. Vão ser mostrados dados de uma pesquisa realizada em universidades públicas brasileiras no momento em que se deu a implantação das várias políticas, entre 2002 e 2012, no sentido de compreender como tais políticas questionaram os significantes vazios utilizados numa sociedade com grande desigualdade social, quando noções de cidadania, diversidade, igualdade e pautaram os espaços universitários com novos frames que trouxeram novas interpretações no que concerne às desigualdades raciais do país. Mas na discussão apresentada vai ser mostrado como a questão da desigualdade social prevaleceu sobre a questão racial.

Author Biography

Angela Randolpho Paiva, Pontifical Catholic University of Rio de Janeiro - PUC-Rio. Associate Vice-President for International Cooperation

Associate professor of sociology - Department of Social Sciences - PUC-Rio.

Associate

References

ALBERTI, Verena; Pereira, Amílcar. Histórias do momvimento negro no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas/FGV, 2007.

AVRITZER, Leonardo. Cultura política, atores sociais e democratização. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n. 28, 1995.

BARBOSA, Joaquim. Ação afirmativa e princípio constitucional da igualdade. RJ: Renovar, 2001.

BENDIX, Reinhard. Construção nacional e cidadania. São Paulo: EDUSP, 1996.

CARVALHO, José Murilo. Os Bestializados. São Paulo: Cia. Das Letras, 1991.

COSTA, Sérgio. As cores de Ercília. Belo Horizonte: Editora UFMG., 2002.

DaMATTA, Roberto. Relativizando. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.

DAGNINO, Evelina. Meanings of citizenship in Latin America. IDS, working paper, 2005.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Editora Ática, 1978.

FRASER, Nancy. Justice Interrupts. New York: Routledge, 1997.

_____________ & Axel Honneth. Redistribution or recognition? A political- philosophical exchange. New York: Verso, 2003.

GOFFMAN, Erving. Frame Analysis: An essay on the Organization of Experiences. Cambridge, Mass: Harvard University Press, 1974.

GOHN, Ma da Glória. Movimentos sociais e redes de mobilização no Brasil contemporâneo. Petrópolis: Vozes, 2010.

GONZALEZ, Lélia. O movimento negro na última década. In: GONZALEZ, L. e HASENBALG, C., Lugar de negro. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1982.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio. Classes, raças e democracia. SP: Editora 34, 2002.

_________________________Racismo e anti-racismo no Brasil. SP: Editora 34, 1997.

HABERMAS, Jürgen. The Theory of communicative action. Boston: Beacon Press, 1987, vol. II.

HASENBALG, C. e VALLE e SILVA, N. Relações raciais no Brasilcontemporâneo. RJ: Rio Fundo Ed. 1992.

_______________________. Origens e destinos. R.J: Topbooks, 2003.

HERINGER, Rosana. “Ação afirmativa e a promoção da igualdade racial no Brasil: o desafio da prática”. In: Paiva, Angela (org.) Ação afirmativa na universidade: reflexão sobre experiências concretas. RJ: Ed. PUC – Rio, 2004.

HENRIQUES, Ricardo. Raça e gênero nos sistemas de ensino. Brasília: Unesco, 2001.

LACLAU, Ernesto. Identity and Hegemony: The role of Universality in the Constitution of Political Logics. In: BUTLER, LACLAU and ZIZEK, Contingency, Hegemony, Universality. London: Verso, 2000.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

PAIVA, Angela R (org.). Ação afirmativa em questão: Brasil, Estados Unidos, África do Sul e França. Rio de Janeiro: Pallas Editora, 2013.

______________ Entre dados e fatos: ação afirmativa nas universidades públicas brasileiras. Rio de Janeiro: Pallas Editora, 2010.

PAIXÃO, M.; CARVANO, M.L. (orgs.). Relatório annual das desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

PETRUCCELLI, J.L. Classificação racial e políticas de ação afirmativa nas universidades. PAIVA (org.). Entre dados e fatos: ação afirmativa nas universidades públicas brasileiras. Rio de Janeiro: Pallas, 2010.

REIS, Elisa P. Pobreza, desigualdade e identidade política. Processos e escolhas. Rio de Janeiro: Contracapa, 1998.

SANTOS, Renato E. Racialidade e novas formas de ação social: o pré-vestibular para negros e carentes. In: Ações afirmativas. Políticas públicas contra as desigualdades raciais. Rio de Janeiro: DP&A editora, 2003.

SOUZA, Jessé (org.). Multiculturalismo e racismo. Brasília: Paralelo 15, 1997.

TELLES, Edward. Racismo à brasileira. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

TELLES, Vera S. Sociedade civil e a construção de espaços públicos. In: DAGNINO (org.) Anos 90: Política e sociedade no Brasil. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1994.

TURNER, Bryan. The Erosion of Citizenship. British Journal of Sociology, vol. 52, Issue 2, 2001.

VELHO, Gilberto. Violência, reciprocidade e desigualdade: uma perspectiva antropológica. In: Cidadania e violência. Rio de janeiro: UFRJ/FGV, 1996.

Published
2018-10-13
How to Cite
Paiva, A. (2018). Discursos conciliadores no debate sobre ação afirmativa no ensino superior. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 6(2), 42-59. https://doi.org/10.25160/v6.i2/d2