Avanços, esgotamento e inflexão necessária. Somos um país da alegria e da alegoria não somos um país da liberdade e da felicidade.

Main Article Content

Cristovam Buarque
Fernanda Cornils

Abstract

Hoje em dia, quem descreve a mente do povo são as estatísticas com base em pesquisas de opinião, com a mesma segurança de quem usa termômetro para aferir a temperatura do corpo. Cometem dois erros: não captam a mente, e não observam a complexidade social nem a amplitude histórica de como vai se formando a maneira como um povo “pensa” e “sente”.

Este texto não usa termômetro, consciente da visão deformada de um mergulhador dentro da água, ele procura mergulhar na mente do povo brasileiro, mas sem aceitar a descrição do mar feita desde as praias: os livros, as salas de aula, as bibliotecas ou os sites da internet.

É difícil saber se essas ideias servirão de base para despertar uma indignação ética com a realidade, ou se elas foram produto dessa indignação. Mas dificilmente seriam escritas sem que houvesse, em sua origem, uma forte e incômoda indignação com a realidade do Brasil.

Article Details

How to Cite
Buarque, C., & Cornils, F. (2013). Avanços, esgotamento e inflexão necessária. Somos um país da alegria e da alegoria não somos um país da liberdade e da felicidade. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 2(1), 3-17. https://doi.org/10.25160/v2.i1/d1
Section
Dossier