"Quebrantados, na ociosidade e na intemperança": devassidão, bebedeira e indisciplina entre os holandeses durante sua conquista de Salvador (1624-1625)

Gabriel Ferreira Gurian

Abstract


Cerca de seis anos antes da conquista de Pernambuco em 1630, que daria início a uma ocupação de quase um quarto de século das capitanias setentrionais do Brasil, a Companhia Neerlandesa das Índias Ocidentais lançou uma empresa com intuito de tomar a então capital da colônia portuguesa na América, Salvador. Com sucesso inicial, seguido de quase um ano de controle da cidade, a resposta das forças ibéricas que previamente dominavam aquelas paragens foi massiva e, ao fim e ao cabo, terminaram por reconquistá-la. Ainda que a frota luso-espanhola enviada com este fim tenha sido a maior a cruzar a linha do Equador até então, tendo expressivo peso na balança dos eventos que culminaram em sua reconquista da urbe, os testemunhos e grandes narrativas sobre o episódio pontuam grande influência de algumas posturas e atitudes das forças batavas, condenáveis aos olhos coetâneos, no percurso que terminou com sua derrota. Dentre elas, destacam-se a bebedeira constante, luxúria, indisciplina militar e descaso com as estruturas de defesa da urbe conquistada. O presente texto se debruçará sobre testemunhos e impressões coevos a fim de mapear as perspectivas sobre tais posturas dos militares holandeses e suas consequências nos eventos ocorridos na Baía de Todos os Santos entre 1624 e 1625.


Keywords


Holandeses na Bahia; embriaguez; vícios; indisciplina militar.

Full Text:

PDF

References


Bibliografia

Documentos

A PLAINE and true relation of the going forth of a Holland fleete the eleventh of november 1623, to the coast of Brasile. Roterdam: J. B., 1626.

ALDENBURGK, Johann Gregor. Relação da conquista e perda da cidade do Salvador pelos holandeses em 1624-1625. Coleção Brasiliensia Documenta, volume primeiro. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1961.

BARLEUS, Caspar. História dos feitos recentemente praticados durante oito anos no Brasil e noutras partes sob o governo do ilustríssimo João Maurício Conde de Nassau, etc., ora governador de Wesel, tenente-general da cavalaria das Províncias Unidas sob o príncipe de Orange. Edições do Senado Federal, vol. 43. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2005.

LAET, Johannes de. “Historia ou Annaes dos Feitos da Companhia Privilegiada das Índias Occidentaes desde o seu começo até ao fim do anno de 1636 por Joannes de Laet, Director da mesma Companhia”. Annaes da Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro. Volume XXX. Rio de Janeiro: Officinas Graphicas da Bibliotheca Nacional, 1912.

MOERBEECK, Jan Andries. “Motivos porque a Companhia das Índias Ocidentais deve tentar tirar ao rei da Espanha a terra do Brasil”. In: RODRIGUES, José Honório (org.). Documentos Holandeses: os holandeses no Brasil. Vol. I. Rio de Janeiro: Instituto do Açúcar e Álcool, 1942, p. 25-43.

SALVADOR, Frei Vicente do. História do Brasil (1500-1627). 5ª edição. São Paulo: Melhoramentos, 1965.

SCHMALKALDEN, Caspar. Brasil holandês: A viagem de Caspar Schmalkalden de Amsterdã para Pernambuco no Brasil. Volume II. Organização de Cristina Ferrão e José Paulo Monteiro Soares. Rio de Janeiro: Index, 1998.

STERHENIUS, Enoch. “Brebe sucinta y berdadera narracion de la jornada al Brasil que algunos mercaderes ordenaron conlicençia y autoridad de los Ilustres señores estados y ordenes de olanda y zelanda en el ano de mil y seiscientos y veinte y tres”. In: VALENCIA Y GUZMAN, Juan de. Compendio Historial de la jornada del Brasil, 1625. Recife: Pool Editorial, 1984, p. 343-371.

TAMAYO DE VARGAS, Tomás. Restauracion de la ciudad del Salvador, y Baía de Todos-Sanctos, en la Provincia del Brasil, Por las Armas de Don Philippe IV, El Grande Rei Catholico de las Españas y Indias. Madrid: Alonso Martin, 1628.

VIEIRA, Pe. Antônio. “Ânua da Província do Brasil (30 de setembro de 1626)”. In: Cartas, volume 1. São Paulo: Globo, 2008, p. 33-82.

Estudos

BOXER, Charles. Os holandeses no Brasil (1624-1654). São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1961.

_______. Salvador de Sá e a luta pelo Brasil e Angola (1602-1686). Coleção Brasiliana, volume 353. São Paulo: Editora Nacional, Editora da Universidade de São Paulo, 1973.

BRAUDEL, Fernand. Civilização Material, Economia e Capitalismo. Séculos XV-XVIII. Volume I. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

CAMENIETZKI, Carlos Ziller; PASTORE, Gianriccardo Grassia. “1625, o Fogo e a Tinta: a batalha de Salvador nos relatos de guerra”. Topoi. Rio de Janeiro: online, 2005, vol. 6, n. 11, p. 261-288.

CARNEIRO, Henrique. Bebida, abstinência e temperança na história antiga e moderna. 1ª edição. São Paulo: Senac, 2010.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. 7ª edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

GALINDO, Marcos (org.). Episódios Baianos: Documentos para história do período holandês na Bahia. Recife: NÉCTAR, 2010.

HERKENHOFF, Paulo (org.). O Brasil e os holandeses (1630-1654). Rio de Janeiro: GMT Editores; Sextante, 1999.

MIRANDA, Bruno R. F. Gente de Guerra: origem, cotidiano e resistência dos soldados do exército da Companhia das Índias Ocidentais no Brasil (1630-1654). 1ª edição. Recife: Editora UFPE, 2014.

SCHWARTZ, Stuart B. “The Voyage of the Vassals: royal power, noble obligations, and merchant capital before the portuguese Restoration of Independence”. The American Historical Review. Vol. 96, n. 03, jun. 1991, p. 735-762.

STRAATEN, Harald S. van der. Brasil: um destino. Brasília: Linha Gráfica Editora, 1998.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história e Foucault revoluciona a história. 4ª edição. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2014.

WÄTJEN, Hermann. O domínio colonial holandês no Brasil: um capítulo na história colonial do século XVII. Recife: CEPE, 2004.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


This website uses cookies to allow us to see how the site is used. The cookies cannot identify you or any content at your own computer.
OK


ISSN: 2245-4373

Hosted by the Royal Danish Library