Ética do gueto: figuras do mal em canções de rap brasileiras e norte-americanas

  • Thiago Cazarim da Silva Instituto Federal de Goiás
Keywords: rap, hip-hop, ética, mal, cidade

Abstract

O objetivo deste trabalho é destacar alguns aspectos relativos à cultura hip-hop e, em particular, às canções de rap como formas de experiência do espaço urbano. As canções de rap de artistas dos EUA e do Brasil, que produzem diferentes narrativas e figurações do urbano, parecem manifestar uma experiência da cidade como lugar decisivamente marcado pelo signo do mal, ou melhor, dos diferentes males que nela tomam corpo e lugar. Uma tal experiência, por sua vez, implica a produção de interrogações de cunho ético acerca do papel da arte popular e das possibilidades de conduta e ação individual e social na cidade. Desta forma, a cidade, mais que palco para as performances das artes de rua, é também vivida como persona capaz de abrir interpelações éticas.

Author Biography

Thiago Cazarim da Silva, Instituto Federal de Goiás
Professor de Música do Instituto Federal de Goiás. Doutorando em Performances Culturais, Mestre em Filosofia e Bacharel em Músical pela Universidade Federal de Goiás.

References

CASTRO, E. 2009. Vocabulário de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica. CAMARGOS, R. 2015. Rap e política: percepções da vida social brasileira. São Paulo: Boitempo. CORLETT, J. Angelo. 2006. “‘Para todos os meus pretos e vadias’: ética e epítetos”. In: Hip hop e a filosofia: da rima à razão, p. 150 – 159. São Paulo: Madras. FLEURY, M. C. 2015. “Hibridações locais e processos identitários: o rap em Goiânia e Aparecida de Goiânia”. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Goiás. GARCIA, A. 2014. “O rap entre mestiçagens e negritudes: música e identidade no Brasil e em Cuba (1988-2005)”. Tese de doutorado, Universidade de Brasília. JAMES, J. 2006. “‘A polícia (Estado) que se f***’: rap, guerra e o Leviatã”. In: In: Hip hop e a filosofia: da rima à razão, p. 76 – 86. São Paulo: Madras. KELLY, E. I.2006. “Mentalidade orientada para o crime e a justiça: retribuição, castigo e autoridade”. In: Hip hop e a filosofia: da rima à razão, p. 181 – 189. São Paulo: Madras. LAWSON, Bill E. 2006. “Comandos do microfone: Rap e Filosofia política”. In: Hip hop e a filosofia: da rima à razão, p. 161 – 171. São Paulo: Madras. MC PHERSON, Lionel K. 2006. “Revolução a meio caminho: daquele gangsta Hobbes aos liberais radicais”. In: Hip hop e a filosofia: da rima à razão, p. 172 – 180. São Paulo: Madras. OLÁRIA, V. 2012. Hip hop: arte-vida-trabalho e experiência docente. Goiânia: Editora UFG. REVEL, J. 2005. Michel Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz. ROSA, W. 2006. “Homem preto do gueto: um estudo sobre a masculinidade no rap brasileiro”. Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília. ROSE, T. 1994. Black noise: rap music and black culture in contemporary America. Middletown: Wesleyan University Press. SHUSTERMAN, Richard. 2006. “Estética rap: violência e a arte de ficar na real”. In: Hip hop e a filosofia: da rima à razão, p. 66 – 75. São Paulo: Madras. WACQUANT, L. 2008. As duas faces do gueto. São Paulo: Boitempo Editorial. WEBB, G. 1998. Dark Alliance: the CIA, the Contras, and the crack cocaine explosion. New York: Seven Stories. FONTES DE PESQUISA: ARRAES, J. 2015. “Bárbara Sweet: ‘Todas as mulheres do rap têm histórias de machismo pra contar””. Revista Fórum, http://www.revistaforum.com.br/2015/02/04/barbara-sweet-todas-mulheres-rap-temhistorias-de-machismo-pra-contar/. BLACK SOUL, F. 2009. “Afrika Bambaataa”. Blog. Felipe Black Soul, http://felipeblacksoul.blogspot.com.br/2009/06/afrika-bambaataa.html. BOTELHO, G. 2010. Nos tempos da São Bento. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=jtkND9L4IKQ. FACÇÃO CENTRAL. 2007. Sei Que Os Porcos Querem Meu Caixão. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=wmYKiRQnqbo. FACE DA MORTE. 2011. Lado B Da Farda. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=bJ0u8_ywg7c. . GRIOT URBANO. 2015. #5 – Elementos do Hip Hop. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=VSHXBEdnXbk. _______________. 2016a. #10 – O Hip Hop é uma Tecnologia!? Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=2dkuHM2eKlI. _______________. 2016b. #11 – Das Gangs às Crews Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=3A-7eXNbgjg. KRS-ONE. 2004a. Everybody rise. Texto. Genius.com. http://genius.com/Krs-one-everybody-rise-lyrics. ________. 2004b. Freestyle Ministry. Texto. Genius.com. http://genius.com/Krs-one-freestyle-ministry-server-verbals-lyrics. ________. 2004c. One ilegal business Remix 2004. Texto. Genius.com. http://genius.com/Krs-one-illegal-business-remix-2004-lyrics. ________. 2004d. You go on? Texto. Genius.com. http://genius.com/Krs-one-you-gon-go-lyrics. PARIS. 1990a. Escape from Babylon. Texto. Genius.com. http://genius.com/Paris-rapper-escape-from-babylon-lyrics. ______. 1990b. The Devil made me do it. Texto. Genius.com. http://genius.com/Paris-rapper-the-devil-made-me-do-it-lyrics. RACIONAIS MC’S. 2007. A Vida é Desafio. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=52NT9cSWC_8. TESTEMUNHA OCULAR. 2013. Goiânia em Caos. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=DotqEWPan_8. ______________________. 2015. Frutos Da Rua (CD Completo 2002/Rap Goiano). Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=kOEkt9E4B44. THIAGÃO E OS KAMIKAZES DO GUETO. 2009. Só Monstro. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=mt_o-Aofu0E. ______________________________________. 2012. Na fé de Deus – joga os plaquê. Vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=otzQONMROm8.

Published
2017-10-15
How to Cite
Cazarim da Silva, T. (2017). Ética do gueto: figuras do mal em canções de rap brasileiras e norte-americanas. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 5(2), 327-346. https://doi.org/10.25160/v5i2.ga.3
Section
General Articles