Speaking for themselves: observations on a “marginal” tradition in Brazilian Literature

Main Article Content

Lucas Amaral de Oliveira

Abstract

The article discusses “marginal literature” produced in the outskirts of São Paulo by authors who do not “fit” into the symbolic hierarchies of the dominant literary canon. This analysis will be based on a broad overview of the tradition in Brazilian literature that has tried to represent both poverty and marginalisation. Special attention will be paid to the debate on the shift from a “dialectic of malandroism”, proposed by Antonio Candido, towards a “dialectic of marginality”. According to João Cezar de Castro Rocha, the latter involves a variety of art practices that seek to expose social conflict instead of disguising it. Then, an analytical framework on the aesthetics of marginality will be presented, while identifying to what extent literary experiences of the past have influenced the marginal literature movement. Finally, the article concludes with reflections on some strategies authors have been using to overcome prejudices towards their cultural expression, which include attempts to create new narrative forms based on the valorisation of the place of enunciation and the right to speak for themselves.

Article Details

How to Cite
Oliveira, L. (2017). Speaking for themselves: observations on a “marginal” tradition in Brazilian Literature. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 5(1), 441-471. https://doi.org/10.25160/v5.i1/ga.4
Section
General Articles
Author Biography

Lucas Amaral de Oliveira, University of São Paulo

Lucas Amaral de Oliveira is pursuing his PhD in Sociology at the University of São Paulo, and is a research fellow at FAPESP. He is currently a visiting PhD researcher at the Department of Global Studies at Aarhus University, Denmark.

References

ALMEIDA, M. A. Memórias de um sargento de milícias. Cotia: Ateliê Editorial, 2011. ANDRADE, M. Macunaíma: o herói sem nenhum caráter. Rio de Janeiro: Agir, 2008. BARRETO, L. Marginalia: artigos e crônicas. São Paulo: Brasiliense, 1956. BEVERLEY, J. Against Literature. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1993. BOSI, A. “Situação e formas do conto brasileiro contemporâneo”. In: O conto brasileiro contemporâneo. São Paulo: Cultrix, 1975. _____. “Sobre Vidas Secas”. In: SCHWARZ, R. Os Pobres na Literatura Brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983. CANCLINI, N. G. Imaginarios urbanos. Buenos Aires: Eudeba, 1999. CANDIDO, A. “A nova narrativa”. In: A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987. _____. “Dialectic of Malandroism”. In: On literature and society. Trans. Howard Becker. Princeton: Princeton University Press, 1995. _____. Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006. _____. “A vida ao rés-do-chão”. In: Recortes. Rio de Janeiro, Ouro Sobre Azul, 2004. CUNHA, E. Rebellion in the Backlands (Os Sertões). Trans. Samuel Putnam. Chicago University of Chicago Press, 1944. D'ANDREA, T. P. A formação dos sujeitos periféricos: cultura e política na periferia de São Paulo. 2013. Tese (Doutorado em Sociologia). USP, São Paulo, 2013. DALCASTAGNÈ, R. A auto-representação de grupos marginalizados: tensões e estratégias na narrativa contemporânea. Letras de Hoje, v.42, p.18-31, 2007. _____. Uma voz ao sol: representação e legitimidade na narrativa brasileira contemporânea. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n° 20. Brasília, 2002. _____. “Vozes nas sombras: representação e legitimidade na narrativa contemporânea”. In: Ver e imaginar o outro: alteridade, desigualdade, violência na literatura brasileira contemporânea. Vinhedo (SP): Horizonte, 2008. DAMATTA, R. A casa & a rua. Espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1987. DIAS, Â M; GLENADEL, P (Orgs.) Estéticas da crueldade. Rio de Janeiro: Atlântica, 2004. ESLAVA, F. Literatura marginal: o assalto ao poder da escrita. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 24, p.35-51 2004. FERRÉZ. Capão Pecado. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005. _____. (Org.) Literatura marginal: a cultura da periferia – Ato I. Caros Amigos, São Paulo, ago/2001. HALL, S. “The West and the rest: discourse and power”. In: HALL et al. (Orgs.) Modernity: introduction to the modern societies. Oxford: Blackwell, pp. 185-227, 1996. HEINICH, N. La sociologie de l’art. Paris: Découverte, 2001. JESUS, C. M. Child of the Dark. New York: Penguin, 2003 JOCENIR. Diário de um detento: o livro. São Paulo: Labortexto Editorial, 2001. LINS, P. Cidade de Deus: romance. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. LISPECTOR, C. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rooco, 1998. LOBATO, M. Urupês. São Paulo: Globo, 2012. MENDES, L. A. Memórias de um sobrevivente. São Paulo: Cia das Letras, 2001. MUNIZ JR, J; OLIVEIRA, L. Literature from the Periphery of São Paulo at the Buenos Aires International Book Fair. Journal of Arts Management, Law, and Society, v.45, 2015. NASCIMENTO, E. P. É tudo nosso! Produção cultural na periferia paulistana. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Universidade de São Paulo, 2011. _____. Vozes marginais na literatura. Rio de Janeiro: Aeroplano/Fapesp, 2009. OTSUKA, E. T. Espírito rixoso: para uma reinterpretação das “Memórias de um sargento de milícias”. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, 105-124, 2007. PARDUE, D. Reversal of fortunes? São Paulo youth redirect urban development. Tomo, n.21, 2012. _____. “Uma perspectiva marginal”. Contemporânea, v.3. n.2, p.447-466, 2013. PATROCÍNIO, P. R. T. Allan Santos da Rosa, um outro olhar sobre a periferia. Ipotesi (UFJF), v. 15, p. 57-69, 2011. _____. Escritos à margem, a presença de autores de periferia na cena literária brasileira. Rio de Janeiro: 7 Letras/FAPERJ, 2013. PELLEGRINI, T. As vozes da violência na cultura brasileira contemporânea. Crítica Marxista, Rio de Janeiro, v. 12, p. 132-153, 2005. PENNA, J. C. “Jagunços, topologia, tipologia (Euclides e Rosa)”. In: PENNA, J, C; FARIA, A; PATROCÍNIO, P. R. T (Orgs.) Modos da margem: figurações da marginalidade na literatura brasileira. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2015. RAMOS, G. Vidas Secas. Rio de Janeiro: Record, 2013. RAP, André du. Sobrevivente. Bruno Zeni (ed.). São Paulo: Labortexto Editorial, 2002. REIS, M. F. Úrsula. A escrava. Atualização do texto e posfácio de E. de A. Duarte. Florianópolis: Mulheres; Belo Horizonte: PUC Minas, 2004. RESENDE, B. “Lima Barreto: a opção pela Marginalia”. In: SCHWARZ, R. Os Pobres na literatura brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983. ROCHA, J. C. C. A guerra dos relatos no Brasil contemporâneo. Ou: a 'dialética da marginalidade'. Letras (Santa Maria), v. 28-29, p. 153-184, 2004. _____. The 'Dialectic of Marginality': Preliminary Notes on Brazilian Contemporary Culture. Centre for Brazilian Studies - University of Oxford - Working Paper Number 62, Oxford, v. 62, p. 1-39, 2005. RODRIGUES, H. Vidas do Carandiru: histórias reais. São Paulo: Geração Editorial, 2002. SALOM, J. S. La literatura marginal periférica y el silencio de la crítica. Revista Chilena de Literatura, Santiago, n. 88, p. 235-264, 2014. SCHOLLHAMER, K. Ficção brasileira contemporânea. Rio: Civilização Brasileira, 2009. SCHWARZ, R. “Cidade de Deus”. In: Sequências Brasileiras. Ensaios. São Paulo: Cia das Letras, 1999. _____. Crítica de intervenção. Rodapé, São Paulo, n. 3, 2004. _____. “Apresentação”. In: SCHWARZ, R. Os Pobres na literatura brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983. _____. “Pressupostos, salvo engano, de Dialética da malandragem”. In. Que horas são?. São Paulo: Cia das Letras, 1987. SELIGMANN-SILVA, M. Novos escritos dos cárceres: uma análise de caso - Luiz Alberto Mendes, “Memórias de um Sobrevivente”. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, nº 27, Dossiê Literatura e Testemunho, pp.35-58, 2006. SHABAZZ, D. Notícias jugulars. São Paulo: Edições Toró, 2006. SILVA, M. A. M. A descoberta do insólito: literatura negra e literatura periférica no Brasil (1960-2000). Rio de Janeiro: Aeroplano, 2013. SILVA, R. S. Cultura e violência: autores, polêmicas e contribuições da Literatura Marginal. São Paulo: Annablume, 2011. SILVA, S; TENNINA, L. “Literatura Marginal” de las regiones suburbanas de la Ciudad de San Pablo: el nomadismo de la voz. Ipotesi, Juiz de Fora, v.15, n.2, 2011. TENNINA, L. (Ed.) Saraus: Movimiento/Literatura/Periferia/São Paulo. Buenos Aires: Tinta Limón. 2014. SOUSA, A. G. T. O filho do pescador. São Paulo: Melhoramentos, 1977 VAZ, S. Cooperifa: antropofagia periférica. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2008. ZIBORDI, M. Jornalismo alternativo e literatura marginal em Caros Amigos. Dissertação (Mestrado em Teoria Literária). Universidade Federal do Paraná, 2004. ZOLBERG, V. Constructing a sociology of the arts. (Contemporary Sociology Series), New York: Cambridge University Press, 1990.