A Retórica da Loucura em Quincas Borba

  • Isadora Grevan de Carvalho Oberlin College
Keywords: Machado de Assis, loucura, Freud, estrutura social brasileira, Quincas Borba, animais na literatura

Abstract

Este artigo explora a variedade de maneiras como a loucura é apresentada em Quincas Borba, de Machado de Assis. A estrutura da narrativa e até mesmo os personagens que não são literalmente representadas como loucos, contêm em si características frequentemente associadas à loucura, como a fragmentação, dualismo, confusão e euforia. Essas mesmas características funcionam como uma ferramenta para levantar questões ligadas à estrutura social brasileira, bem como os valores da burguesia em ascensão. Este artigo também traz à tona uma nova perspectiva sobre as possíveis interligações entre os personagens Sofia, Rubião e o cão e como a loucura é usado como retórica literária para ligá-los.

Author Biography

Isadora Grevan de Carvalho, Oberlin College
Visiting Assistant Professor of Portuguese and Brazilian Studies. Hispanic Studies. Oberlin College

References

Assis, Machado de. Memorias Postumas de Bras Cubas. Rio De Janeiro: 1881. Domínio Público. Fundação Biblioteca Nacional. Web. 12 dez. 2012.

---. O Alienista. Rio de Janeiro: 1882. Domínio Público. Fundação Biblioteca Nacional. Web. 12 dez. 2012.

---. Quincas Borba. São Paulo: Editora Ática, 2000. Impresso.

Foucault, Michel. Madness and Civilization. New York: Vintage Books, 1988. Impresso.

Freitas, Luiz Alberto Pinheiro de. Freud e Machado de Assis. Rio de Janeiro: Mauad, 2001. Impresso.

Freud, S. (1996a). O Mal-Estar na Civilização (Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Vol. 21). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1929). Impresso.

Gomes, Roberto. O Alienista: loucura, poder e ciência. Tempo Social. São Paulo: USP, 5(1-2), 145-160, 1993.

Jorge, Marco Aurelio Soares. “Engenho dentro de casa: sobre a construção de um serviço de atenção diária em saúde mental”. [Master’s Thesis] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 1997. Web. 24 dez. 2012.

Lima, Luiz Costa. “O palimpsesto de Itaguaí”. In: Pensando nos trópicos. Rio de Janeiro: Rocco, 1991. Web. 23 dez. 2012.

Lopes, Jose Leme. A Psiquiatria de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Agir, 1974. Impresso.

Muricy, Katia. A Razão Cética. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. Impresso.

Ramos, Graça. Ironia à Brasileira. São Paulo: Paulicéia, 1997. Impresso.

Rotterdam, Erasmo de. Elogio da Loucura. Trans. Paulo M. Oliveira. eBooksBrasil, 2002. Web. 12 dez. 2012.

Schuler, Donaldo. A Prosa Fraturada. Porto Alegre: Editora da Universidade Federal

do Rio Grande do Sul, 1983. Web. 24 dez. 2012.

Schwartz, Roberto. “A Vira Volta Machadiana”. Novos Estudos – CEBRAP (online). 2005, Vol. 1. Web. 24 dez. 2012.

---. (org.). 1992. Ao vencedor As Batatas. São Paulo: Duas Cidades. Impresso.

Tosta, Antonio Luciano. “Machado de Assis: A obra entreaberta”. Luso-Brazilian Review. Vol. 41, No. 1 (2004) (PP. 37-55). Web. 24 dez. 2012.

Wilson, Clotilde. “Machado de Assis, Encomiast of Lunacy”. Hispania, Vol. 32, No. 2 (May, 1949), pp. 198-201. Web. 23 dez. 2012.

Published
2015-09-12
How to Cite
Grevan de Carvalho, I. (2015). A Retórica da Loucura em Quincas Borba. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 4(1), 159-186. https://doi.org/10.25160/v4.i1/ga.1
Section
General Articles