“Meu primeiro manifesto político foi um romance”: reflexões sobre a obra O Estrangeiro de Plínio Salgado

Main Article Content

Leandro Pereira Gonçalves
Maria Izilda Santos de Matos

Abstract

Plínio Salgado é conhecido como líder e mentor do movimento integralista, todavia, a sua atuação literária teve grande destaque no cenário cultural brasileiro e português. Na sua ampla produção, merece menção o romance O estrangeiro (1926), no qual destaca a figura do imigrante no desenvolvimento da nação e aprofunda a crítica à sociedade de então, refletindo sobre o modelo nacionalista a ser empregado no Brasil. Esta pesquisa buscará analisar esta obra em interfase com as propostas dos eugenistas paulistas sobre a questão da imigração.


Plinio Salgado is known as a leader and mentor of the “integralismo”, however, its performance had great literary prominence in the Brazilian and Portuguese cultural. In his extensive production, deserves mention romance O estrangeiro (1926), in which stands the figure of the immigrant in the nation's development and deepens the critique of society then pondering the nationalist model to be used in Brazil. This research will try to analyze this work in interphases with the proposals of the eugenicists on the issue of immigration.


Article Details

How to Cite
Gonçalves, L., & Matos, M. I. (2014). “Meu primeiro manifesto político foi um romance”: reflexões sobre a obra O Estrangeiro de Plínio Salgado. Brasiliana - Journal for Brazilian Studies, 3(1), 472-511. https://doi.org/10.25160/v3.i1/ga.5
Section
General Articles
Author Biographies

Leandro Pereira Gonçalves, Programa de Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PPGH/PUCRS)

Professor Adjunto do Programa de Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PPGH/PUCRS) e Docente do Curso de Graduação em História. Professor Colaborador do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH/UFJF). Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) com estágio (Junior Visiting Fellow) no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL). Autor da melhor tese de doutorado de 2012 no Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PPGH/PUC-SP) com apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Publicação (no prelo: Lisboa, 2014) editada pelo Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa (CEHR/UCP) com o título: Plínio Salgado. Um católico integralista entre Portugal e o Brasil (1895-1975) . Mestre em Letras na especialidade de Literatura Brasileira pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES-JF). Especialista em História do Brasil pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Bacharel em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Licenciado em História pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES-JF). É Investigador Estrangeiro Associado ao Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa (CEHR/UCP). Pesquisador do Laboratório de Estudos de Imigração (LABIMI) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Pesquisador Efetivo do Laboratório de História Política e Social da UFJF (LAHPS). Membro da Diretoria (Tesoureiro) da Associação Nacional de História, seção Minas Gerais - ANPUH-MG (Gestão 2012-2014). Coordenador do Grupo de Pesquisa: Direitas, História e Memória. Especialmente na relação entre Brasil e Portugal, suas pesquisas recentes concentram-se em questões relacionadas à cultura política, cristianismo e autoritarismo, racismo, ações imigrantistas, ruralização e urbanização, cosmopolitismo e modernização.

Maria Izilda Santos de Matos, Programa de Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PPGH/PUC-SP)

possui graduação em História pela Universidade de São Paulo (1978) e doutorado em História pela Universidade de São Paulo (1991), tem pós doutorado Université Lumiere Lyon 2/França (1997). Atualmente é professora titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e colaboradora da Universidade Estadual do Ceará. Participou de vários outros projetos de pesquisa, é pesquisadora 1do CNPq. Em 1994 recebeu o prêmio SESI-CNI de Teses Universitárias, com o trabalho Trama e Poder, em que estuda as indústrias paulistas, entre 1890-1934. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: historia, música, gênero, historia das mulheres e cidade.. Entre suas obras destacam-se: Melodia e Sintonia: o masculino, o feminino e suas relações em Lupicínio Rodrigues. RJ, 2ª ed., Bertrand Brasil, 1999. Dolores Duran: Experiências Boêmias em Copacabana nos anos 50. RJ: Bertrand Brasil,2.ed,2002. O imaginário em debate. SP, Olho d'água, 1998. A Cidade em debate. SP, Olho D'água, 1999. Por uma história das mulheres, SP, EDUSC, 2000. Meu lar é o botequim, SP, Cia Editora Nacional, 2.ed., 2002. Cotidiano e Cultura: história, cidade e trabalho, SP, EDUSC, 2002. Ancora de Emoções, Bauru, EDUSC, 2005. Gênero e Terceiro Setor. Ed. Catavento, 2005. A cidade, a noite e o cronista: São Paulo de Adoniran Barbosa. Bauru, EDUSC, 2008. História e Deslocamentos: os portugueses. Bauru/Porto, EDUSC/CEPESE, 2008. Portugueses: deslocamentos, experiências e cotidiano SP séculos XIX e XX. Bauru, EDUSC, 2013.