O mito da democracia racial e a mestiçagem no Brasil (1889-1930)

  • Petrônio Domingues
Keywords: black, racial relations, racial democracy, crossbreeding

Abstract

In this article, we show that, on the plan of ideas, the racial democracy myth was progressively built in the transcourse of the Colony Brazil and the Empire. In dawning of the Republic, it was common sense to consider the Brazilian society deprived of any kind of racial barrier. Thus, Gilberto Freyre's largest merit, when releasing Casa Grande & Senzala, in 1933, was not “to discover” a supposed opportunity equality among blacks and whites, but to have transformed it into the official racial ideology of the country. Besides that, we make an assessment of the crossbreeding in the Brazilian racial system, having São Paulo as stage of our concerns, in the historical cutting of the First Republic (1889-1930).

References

ANDREWS, George Reid. “O protesto político negro em São Paulo (1888-1988)”. Rio de Janeiro: Estudos Afro-Asiáticos, no 21, pp.27-48, 1991.
AZEVEDO, Célia Maria Marinho de. Onda negra, medo branco. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
BARBOSA, Wilson do Nascimento. “O problema do negro na história do Brasil”. Salvador, 1985 (mimeo).
BERNARDO, Teresinha. Memória em branco e negro: olhares sobre São Paulo. São Paulo: EDUC: Editora da Unesp, 1998.
BORGES, João Baptista; FERNANDES, Florestan; NOGUEIRA, Oracy. A questão racial brasileira vista por três professores. São Paulo: ECA/USP, Circulação Restrita, 1971.
CARDOSO, Paulino de Jesus Francisco. A luta contra a apatia: estudo sobre a instituição do movimento negro anti-racista na cidade de São Paulo (1915-1931). São Paulo. Dissertação (Mestrado em História) – PUC, 1983.
CUNHA Jr., Henrique. "Notas para uma história do negro brasileiro no após-abolição: a mudança de mentalidade da população negra no centro-sul brasileiro". Afrodiáspora, v.2, n0. 3, pp.31-42, 1983.
FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Difel, 1972.
GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. Famílias negras em São Paulo: vivências, representações e lutas (1890-1980). São Paulo, 1998 (Relatório de Pesquisa).
HOFBAUER, Andreas. Uma história de branqueamento ou o negro em questão. São Paulo. Tese (Doutorado em Antropologia) - FFLCH/USP, 1999.
MACIEL, Cleber da Silva. Discriminações raciais: negros em Campinas (1888-1926). Campinas: CMU/UNICAMP, 1997.
MOURA, Clóvis. A sociologia do negro brasileiro. São Paulo: Ática, 1988.
_____________ Dialética radical do Brasil negro. São Paulo: Anita Garibadi, 1994.
_____________ Brasil: as raízes do protesto negro. São Paulo: Global Ed., 1983.
_____________ O negro, de bom escravo a mau cidadão? Rio de Janeiro: Conquista, 1977.
OLIVEIRA e OLIVEIRA, Eduardo de. "O mulato, um obstáculo epistemológico". Rio de Janeiro:
Argumento, no. 4, pp. 65-73, 1974.
PINTO, Regina Pahim. O movimento negro em São Paulo: luta e identidade. São Paulo. Tese (Doutorado em Antropologia) - FFLCH/USP, 1993.
SANTOS, Joel Rufino dos. "O negro no 1o. pós-abolição: marginalização e patrimônio cultural". Rio de Janeiro: Estudos Afro-Asiáticos, no.15, pp.43-47, 1988.
SILVA, José Carlos Gomes da. Os sub urbanos e a outra face da cidade. Negros em São Paulo (1900-1930): cotidiano, lazer e cidadania. Campinas. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - UNICAMP, 1990.
SILVA, Martiniano J. Racismo à brasileira; raízes históricas. São Paulo: Anita Garibaldi, 1995.
Published
2005-01-01
How to Cite
Domingues, P. (2005). O mito da democracia racial e a mestiçagem no Brasil (1889-1930). Diálogos Latinoamericanos, 6(10), 16. Retrieved from https://tidsskrift.dk/dialogos/article/view/113653
Section
Articles