https://tidsskrift.dk/bras/issue/feed Brasiliana - Journal for Brazilian Studies 2018-05-25T00:31:27+02:00 Dr. Vinicius Mariano de Carvalho vinicius.carvalho@kcl.ac.uk Open Journal Systems https://tidsskrift.dk/bras/article/view/105519 Front Matter 2018-05-24T13:08:45+02:00 Vinicius de Carvalho vinicius.carvalho@kcl.ac.uk 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/105520 Editorial 2018-05-24T13:08:45+02:00 Anna Grimaldi anna.grimaldi@kcl.ac.uk Kayla Svoboda kayla.svoboda@kcl.ac.uk 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/98883 Jorge Amado in the USSR: allowed printed, “dangerous” on the big screen 2018-05-25T00:03:56+02:00 Marina Fonseca Darmaros marinadarmaros@gmail.com <p class="Normal1">The present article aims at sketching a panorama of the screening and reception of film adaptations of Jorge Amado’s works produced between the 1970s and 1980s and exhibited in the Soviet Union on different platforms and to analyze these choices.</p> 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/102081 Em cartaz: o cinema brasileiro de autor na cartografia cultural mundial 2018-05-24T23:58:22+02:00 Maria Angélica Amâncio gellyamancio@yahoo.com.br <p><span style="font-size: medium;">Este artigo parte da análise de três filmes de diretores brasileiros contemporâneos: <em>O som ao redor </em></span><span style="font-size: medium;">(2012), de Kleber Mendonça Filho, </span><em><span style="font-size: medium;">Terra estrangeira </span></em><span style="font-size: medium;">(1995), de Walter Salles e Daniella Thomas, e </span><em><span style="font-size: medium;">Gabriel e a Montanha </span></em><span style="font-size: medium;">(2017), de Fellipe Barbosa, para refletir sobre o movimento pelo espaço e sobre o espaço em movimento, no cinema brasileiro. O espaço, neste caso, é o Brasil, por vezes representado pelos brasileiros, enquanto personagens, cidadãos, cineastas. Nas obras selecionadas, o território nacional é ora percorrido, ora abandonado, mas sempre repensado, de maneira a provocar também uma releitura da potencialidade do cinema brasileiro contemporâneo no cenário mundial. Espera-se, nesse sentido, também refletir sobre a extrapolação de territórios no sentido cinematográfico, ou seja: acredita-se que, abandonando certos clichês e ousando na forma de suas obras, os cineastas em questão realizam uma poderosa difusão da produção cultura brasileira, levando o país para o interior de outros continentes, ao filmar em outros locais ou ao transportar para eles histórias política e socialmente nacionais.</span></p> 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/26252 A divisa como conexão: representações da fronteira em documentário 2018-05-25T00:01:06+02:00 Flavi Flavi Ferreira Lisbôa Filho flavilisboa@gmail.com Débora Flores Dalla Pozza debora.dpozza@gmail.com Uruguaiana e Paso de Los Libres são cidades da divisa entre Brasil e Argentina retratadas no documentário Na Fronteira (2015). No audiovisual, a relação entre elas, suas semelhanças e diferenças, é vista pela perspectiva dos habitantes da fronteira. O objetivo deste trabalho é entender como o documentário em questão representa as identidades fronteiriças, por meio da análise documental da cultura (Williams 2003) combinada à análise textual (Casetti e Chio 1999). Para tanto, revisamos as noções de cultura, representação, documentário, fronteira e identidade, e esboçamos uma forma de operacionalizar a análise documental da cultura no estudo das representações em Na Fronteira. Com a pesquisa, vimos que os sentidos apontam para a mescla cultural e integração entre os países, salientando uma identidade binacional fronteiriça, que aproxima, compartilhada entre os habitantes dos dois “lados” da divisa. Esses sentidos constituem uma alternativa à cobertura jornalística sobre fronteira, que privilegia situações de contravenção.<p class="MsoHeader" style="text-align: center; line-height: 150%;" align="center"><strong><span style="font-size: 12.0pt; line-height: 150%; font-family: 'Palatino Linotype',serif; mso-bidi-font-family: 'Palatino Linotype'; mso-ansi-language: PT-BR;">A divisa como conexão: representações da fronteira em documentário</span></strong><strong></strong></p> 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/26249 Political Cartographies in Aquarius 2018-05-25T00:06:26+02:00 Tom Winterbottom winterbottom@alumni.stanford.edu <p class="normal">The premiere of Kleber Mendonça Filho’s film <em>Aquarius</em> coincided with the beginning of impeachment processes against former president Dilma Rousseff, spurring the filmmaking team to voice their opinions on the Cannes red carpet and in subsequent public discourse. In the following months the film became an important point of reference on the cultural landscape of Brazil, snubbed for selection for the Oscars, and involved in a debate over censorship. By first studying the content and cinematic techniques employed in telling the intimate story of contested space in the historic seafront building that is the film’s subject, and then analyzing the film and its reception as a cultural object at a certain political moment in Brazil during which time the film garnered significant attention and meaning beyond what is presented on screen, this article explores the deep politicization and extensive political cartography of <em>Aquarius</em>.</p> 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/26352 Reflecting on hard and soft coups: a comparison of Aquarius by Kleber Mendonça Filho and Land in Anguish by Glauber Rocha 2018-05-25T00:08:05+02:00 Carolin Overhoff Ferreira carolinoverferr@yahoo.com <p>This article aims to study the film <em>Aquarius</em> (2015) by Kleber Mendonça Filho in comparison with <em>Land in Anguish</em> (1967) by Glauber Rocha. The interest in analyzing both films stems from the polemical reception that <em>Aquariu</em>s received after its director and cast used the international launch at the Cannes Film Festival in 2016 to protest publically against the impeachment of Brazilian president Dilma Rousseff, denounced by them as a soft coup. <em>Land in Anguish</em>, on the other hand, has long been considered an allegory of Brazil’s political situation after the military coup in 1964. This article will ask if any of the two films can be read as a diagnosis of the country and if how. To do so this study will be guided by the anthropological definition of film developed by German philosopher Martin Seel (2013) who understands the media as the art form that most strongly is capable of moving us, as much emotionally as intellectually, and, in consequence, make us move. I will therefore discuss both <em>Aquarius</em> and <em>Land in Anguish’s</em> potentials to move us and to make us move, asking if they can make us feel and understand Brazil so as to make us act – perchance – within its socio-political structure.</p> 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/25279 Quanto vale uma Chanchada? Disputas conceituais e valorativas em torno das comédias cinematográficas brasileiras (1940-50) 2018-05-25T00:11:07+02:00 Guilherme Maia maia.audiovisual@gmail.com Euro Prédes De Azevedo europredes@gmail.com <p>Este artigo tem como objetivo identificar ‘pontos de contato’, interfaces entre os discursos acerca das comédias cinematográficas brasileiras que se tornaram conhecidas como <em>chanchadas</em> e os próprios filmes, em sua dimensão imanente, a partir da análise fílmica; em outras palavras, fazer encontrarem-se contexto e texto, discurso crítico e interpretação das obras. A primeira parte — metacrítica — revisita discursos acerca das chanchadas e observa uma mudança radical de polaridade na atribuição de valor a essa classe de filmes, que transita entre ser o mais desprezível e subserviente dos cinemas e ser um gênero subversivo, talvez o único que poderia ser considerado genuinamente brasileiro. O segundo momento — analítico —examina os filmes <em>Nem Sansão nem Dalila</em> e <em>Matar ou correr</em>, ambos dirigidos por Carlos Manga e lançados em 1954, com o intuito de procurar, nas obras, elementos que justifiquem a existência de duas visões tão opostas sobre um mesmo fenômeno. Percebendo a paródia como elemento fundamental da interface contexto-texto, tentamos também propor dois novos caminhos interpretativos para o estudo do gênero: um que trate os filmes a partir daquilo que têm de singular — o viés cômico — e outro que revela interessantes conexões entre as chanchadas e o cinema moderno brasileiro.</p> 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/25627 Quando a máquina ataca: notas sobre cinema e engajamento 2018-05-25T00:12:44+02:00 Érico Oliveira de Araújo Lima ericooal@gmail.com <p>Este artigo busca pensar alguns modos de embate de que tem lançado mão o cinema para lidar com as problemáticas gestões do espaço urbano, em nosso presente histórico. De um lado, pensamos como a máquina-cinema se engaja no tempo histórico e nas experiências do mundo vivido para produzir um mundo imaginado. De outro, tentamos analisar as materialidades fílmicas, para indagar sobre as modalidades de afetação que elas podem traçar com o corpo do espectador. Essa articulação se dá junto às singularidades de dois filmes do cinema brasileiro recente, <em>Nova Dubai</em> (Gustavo Vinagre, 2014) e <em>Branco sai preto fica</em> (Adirley Queirós, 2014), que traçam dois caminhos distintos de engajamento, como tentaremos indicar. Interessa-nos pensar como esses trabalhos, cada um a seu modo, oferecem vias de articulação entre o real e as potências de atração do cinema, desdobrando diretos ataques políticos a configurações territoriais na cena urbana.</p> 2018-05-08T23:42:38+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/26349 Da Violência como Instrução ao (Des)afeto como Constrangimento: Acumulação Pulsional, Identidades Segmentadas e Clausuras do Comum em Casa Grande (Felipe Barbosa, 2014) e Que Horas Ela Volta (Anna Muylaert, 2015) 2018-05-25T00:14:27+02:00 Rafael Tassi Teixeira rafatassiteixeira@hotmail.com <p>O trabalho problematiza as releituras da construção do pertencimento em novas (velhas) dialéticas das impossibilidades (diversas paisagens, distintos pertenceres) na construção social do habitar na realidade cotidiana brasileira vista nas relações entre afetos potentes e desafetos invariantes nos dois filmes brasileiros que geraram ampla discussão sobre as relações entre patrões e empregados na cena do imaginário cotidiano da execussão da alteridade: <em>Que Horas Ela Volta</em> (Anna Muylaert, 2015) e <em>Casa Grande</em> (Felipe Barbosa, 2014). Dois filmes como dois desencontros, duas potencialidades da fisionomia do abandono e do seletivismo dos laços na clandestinidade dos apegos e nos descompassos entre a admissão da alteridade pela via do ‘pessimismo sentimental’ e pela clausura dramática dos novos paradigmas sobre as sentidas (i)mobilidades clássicas da realidade social brasileira desde o comum da repetição ao pulsional da ordem na ciclotimia nas relações patrões-empregados.</p> 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/97304 Life, Death, and Fear in the Twenty-First Century Brazilian Graphic Novel 2018-05-25T00:16:52+02:00 William Daniel Holcombe wholcom@clemson.edu <p>This essay identifies influential and prominent twenty-first century Brazilian graphic novels and associated sociocultural affects, such as racial inequality, gender disparities, and social dysfunctionality, as this Post-Boom literary genre expands into a global market. A specific selection of influential texts, key citations, provocative images, and disturbing themes is analyzed, revealing humanistic leitmotifs such as fear of death, violence, and disease, as well as fear of life, immigrant acculturation, futurism, and authoritarianism. The selection is limited to Brazilian graphic novels produced so far in the twenty-first century that have achieved a significant international readership: <em>Daytripper </em>(2014) by Fábio Moon and Gabriel Bá; <em>Two Brothers </em>(2015) by Moon, Bá and Milton Hatoum; <em>Pixu </em>(2009) by Moon, Bá, Becky Cloonan, and Vasilis Lolos; <em>V.I.S.H.N.U </em>(2012) by Eric Archer, Ronaldo Bressane, and Fabio Cobiaco; and <em>Notas de um tempo silenciado </em>(2015)<em> </em>by Robson Vilalba.</p> 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/26250 As ideias de Brasil: fundamentos de um debate crítico entre Roberto Schwarz e Silviano Santiago 2018-05-25T00:18:25+02:00 Fabiana Carneiro da Silva fabicarneirodasilva@yahoo.com.br <p>Partindo de uma sensação de desconforto em relação a certo modo de encaminhamento da reflexão crítica contemporânea no Brasil, este trabalho propõe uma análise comparativa de ensaios de Roberto Schwarz e Silviano Santiago, críticos de notória importância para a teoria literária brasileira. Por meio de um recorte que privilegia as proposições e avaliações sobre os aspectos socioculturais do país realizadas por eles, pretende-se explicitar como a perspectiva contrastiva entre tais obras pode configurar uma possibilidade de formulações outras para questões que há muito são fundamentais no pensamento nacional. Desse modo, almejamos flagrar as tensões que os textos críticos estabelecem entre si e vislumbrar nesse procedimento uma potência particular. Deteremo-nos, sobretudo, nos modos como o tópico da subordinação econômica versus (in)dependência cultural (e sua relação com o nacionalismo) são desenvolvidos e  envolvem estratégias de autolegitimação, bem como o embate entre pressupostos teóricos de escasso diálogo: a desconstrução e o materialismo dialético. <br /><br /> </p><p><strong>Abstract</strong></p><p> </p><p>Motivated by a certain discomfort related to a specific direction Brazil’s contemporary critical thought has taken, this paper proposes a comparative analysis between essays from two highly regarded authors in Brazilian literary criticism: Roberto Schwarz and Silviano Santiago. Through a point of view that privileges the proposals and assessments concerning the country’s socio cultural aspects carried out by them, it is intended to highlight how the contrastive perspective between the aforementioned works can configure a possibility of formulating other questions that for long have been quintessential in the national thought. Thus, we aspire to point out the tensions set between the critical texts and conjecture a common faculty in this procedure. We shall focus, mostly, on the manners the topic economic subordination versus cultural (in)dependence (and its relation to nationalism) are developed and regard self-legitimization strategies, as well as the confrontation between theoretical moulds of rare dialogue: deconstruction and dialectic materialism.</p> 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/26366 "Quebrantados, na ociosidade e na intemperança": devassidão, bebedeira e indisciplina entre os holandeses durante sua conquista de Salvador (1624-1625) 2018-05-25T00:20:25+02:00 Gabriel Ferreira Gurian guriangabriel@gmail.com <p>Cerca de seis anos antes da conquista de Pernambuco em 1630, que daria início a uma ocupação de quase um quarto de século das capitanias setentrionais do Brasil, a Companhia Neerlandesa das Índias Ocidentais lançou uma empresa com intuito de tomar a então capital da colônia portuguesa na América, Salvador. Com sucesso inicial, seguido de quase um ano de controle da cidade, a resposta das forças ibéricas que previamente dominavam aquelas paragens foi massiva e, ao fim e ao cabo, terminaram por reconquistá-la. Ainda que a frota luso-espanhola enviada com este fim tenha sido a maior a cruzar a linha do Equador até então, tendo expressivo peso na balança dos eventos que culminaram em sua reconquista da urbe, os testemunhos e grandes narrativas sobre o episódio pontuam grande influência de algumas posturas e atitudes das forças batavas, condenáveis aos olhos coetâneos, no percurso que terminou com sua derrota. Dentre elas, destacam-se a bebedeira constante, luxúria, indisciplina militar e descaso com as estruturas de defesa da urbe conquistada. O presente texto se debruçará sobre testemunhos e impressões coevos a fim de mapear as perspectivas sobre tais posturas dos militares holandeses e suas consequências nos eventos ocorridos na Baía de Todos os Santos entre 1624 e 1625.</p> 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/97322 “Fidelidade Aliancista”: as alianças eleitorais nas eleições majoritárias estaduais e o caso do PSB 2018-05-25T00:22:18+02:00 Roberta Carnelos Resende roberta_carnelos@yahoo.com.br Sara Epitácio saraepitacio@hotmail.com <p>O objetivo principal deste trabalho é identificar os perfis de alianças realizadas pelo PSB nas eleições para governador de 1990 a 2014. Pretende-se responder às seguintes questões: Quais são os parceiros preferenciais do PSB? Estes pertencem ao mesmo espectro ideológico? O partido opera com uma lógica particular em cada estado? Parte-se da hipótese de que os laços de fidelidade e lealdade entre os partidos caracterizam as alianças eleitorais. Tais laços são aqui chamados de “fidelidade aliancista”, entendida como as alianças que se repetem de uma eleição para outra em um determinado espaço e nível eleitoral. As coligações foram analisadas de forma desagregada, pois tal abordagem permite compreender melhor as estratégias dos partidos, deslocando o foco dos blocos (coligações) para as relações interpartidárias (alianças). Constatou-se que os principais parceiros do PSB foram o PT e o PCdoB, ambos de esquerda, e que as alianças com os partidos de direita superaram as demais a partir das eleições de 2002. Detectou-se, ainda, ocorrências consideráveis de fidelidade aliancista nos estados, sobretudo, entre o PSB e partidos de mesmo espectro ideológico, confirmando a hipótese levantada.</p> 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/103182 A perversão como estética política para a sexualidade: notas sobre a revista Nin 2018-05-25T00:25:09+02:00 Muriel Emídio Pessoa do Amaral murielamaral@yahoo.com.br Claudio Bertolli Filho cbertolli@uol.com.br Maria Manuel Rocha Teixeira Baptista mbaptista@ua.pt A proposta desse texto é de aprofundar como o conceito de perversão e política podem ser aplicados no reconhecimento da diversidade de práticas e orientações sexuais. Neste momento, a perversão é entendida como desafio às estruturas de poder e política como manifestação pública de visibilidade. Para esse efeito, foi escolhido como objeto de estudo a revista brasileira Nin para ser analisada e perceber como os discursos e representações de corpos e de sexualidades podem ser desafiadoras de discursos de poder, além de oferecer outras interfaces de reconhecimento de sujeitos e sexualidades. 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/105521 Book review: Fabiana Gondim Mariutti (2017) Country Reputation: The Case of Brazil in the United Kingdom. 2018-05-25T00:27:43+02:00 Daniel Buarque dbuarque@gmail.com 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/105522 Book review: Book Review: Amorim, Celso (2017). Acting Globally: Memoirs of Brazil’s Assertive Foreign Policy. 2018-05-25T00:29:38+02:00 Maria Berta Ecija maria.ecija_salgado@kcl.ac.uk 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement## https://tidsskrift.dk/bras/article/view/105523 Entrevista com o colecionador de arte Adolpho Leirner 2018-05-25T00:31:27+02:00 Luis Sandes luis.sandes@gmail.com 2018-05-08T23:42:39+02:00 ##submission.copyrightStatement##